Aprender habilidades sociais

Simplesmente CheckMate

2020.11.22 01:49 kionda_movey Simplesmente CheckMate

Essa história é meio longa e não é linear, mas vou me esforçar pra resumir o máximo pra não exagerar aqui. Eu sou homem, tenho quase 20 anos e sou de uma família de classe média muito (muito) tradicional e conservadora. No final do ano passado eu comecei a namorar e aconteceu uma gravidez inesperada (apesar dos precauções), hoje temos um bb de 3 meses.
O que ocorre é que agora eu sou "forçado" a ficar com ela o resto da minha vida, já que temos um filho e tals, e eu gosto dela (hoje estamos de boa) o problema é que eu não sei se ela é "a pessoa" e eu ainda queria conhecer muita gente e aprender com outros relacionamentos; eu já fiquei sério com outras meninas, mas minha atual também foi a primeira namorada que eu assumi.
Eu gosto muito da minha família, daria minha vida por eles, mas tenho que manter uma certa postura por ser o filho mais velho, não tenho a liberdade ou espaço pra conversar com ninguém da minha família sobre isso. Além disso meus pais sempre foram superprotetores e raramente me deixavam sair com amigos (pq eu ia me drogar ou ser sequestrado), o resultado é que tenho pouquíssimos amigos e quase nenhuma habilidade social. Os poucos amigos que eu tinha se afastaram por causa da pandemia, estou em cárcere privado e não tenho uma boa presença virtual. Em resumo, estou sozinho e tenho que guardar tudo pra mim.
Minha namorada gosta de animes e se veste tipo egirl, mas ela não chega a ser otako. Nesse ponto a gente não combina, eu gosto de ler e pesquisar sobre economia e política, ela gosta de jogos online e assistir anime. O resultado é que 99% dos amigos dela são homens que assistem animes e jogam, e como ela joga online, esses caras conversam mais com ela do que eu. Isso me deixa muito mal, eu até tentei jogar mas sou horrível fui xingado a cada 2 seg, então fiquei com raiva e nunca mais joguei.
Ela também sai pra festas, eu não gosto de beber pq já tive muito problema com bebida, e simplesmente não consigo conversar com os amigos dela (em parte por não entender as conversas de shitpost e também por não ter habilidades sociais). Por isso fico em casa sozinho enquanto ela sai com os amigos homens, de saia e cropped. Eu sempre fui muito honesto e odeio traição, tipo krl pode ficar com outras pessoas mas tenha o mínimo de respeito e termine cmg antes se for fazer isso mds. Mas mesmo assim provavelmente ela me trai, eu não tenho provas, ninguém vai me falar pq não tenho contatos e não vou dar a doida de aparecer lá do nada pra pegar ela no flagra. Eu fico muito triste pq ela tem depressão, borderline e ansiedade e por isso ela bebe muito, mas ela está amamentando e eu não posso fazer nada. Se eu falar pra alguém isso vai criar um problema pra ela por umas 3 semanas, depois ela vai voltar a beber, a única diferença é que minha família vai odiar ela e eu vou ficar preso a uma pessoa que todo mundo da minha casa não gosta, então "denunciar" o consumo de álcool dela está fora de questão.
Eu tinha muitos plano pra esse momento da minha vida, queria visitar um tio que mora na Alemanha, ele iria pagar minha passagem e eu ficaria uns 6 meses na casa dele estudando. Tinha vontade de conhecer muitos lugares e me dedicar aos estudos, mas esses sonhos estão acabados pq agora tenho que "ser homem" e trabalhar pra comprar as coisas do meu filho, não consigo me dedicar aos estudos e não consigo fazer outros cursos para desenvolver outras habilidades (sempre quis tocar violão e sou péssimo em excel) pq quando não estou trabalhando nem estudando pra faculdade, tenho que cuidar de um bebê.
Não tenho nenhum amigo pra conversar, não posso sair de casa, me relaciono pouco com minha namorada por gostarmos de coisas diferentes e esse sentimento de ela estar me traindo está me matando por dentro, a desconfiança cresce como um câncer e me dá vontade de abandonar tudo e sumir pra sempre. Não posso falar sobre isso com minha família e pra mim tudo o que eu sempre quis fazer nunca vai passar de um sonho. É como se eu tivesse desperdiçado a "melhor parte da minha vida".
Hoje toda vez que eu encontro minha namorada eu tenho um embrulho no estômago por pensar que ela dormiu com outros caras e mesmo assim eu estou preso a ela. Não vejo nenhuma possibilidade de realizar meus sonhos e metas de vida e nem posso me dedicar aos estudos. Isso não me deixa desesperado nem com vontade de gritar de raiva, é como se eu já tivesse desistido, sem vontade de resistir a mais nada, como simplesmente flutuar em um mar gelado com esse gosto amargo na boca, sem condições de lutar. A pior parte do meu dia é quando eu acordo e me lembro que tudo isso não foi um sonho ruim, e não tem nenhum dia que eu não peça a Deus pra me levar, seja em um acidente ou doença. Eu não estou cansado de uma vida difícil, mas angustiado por ver um futuro longo e infeliz independente da direção em que eu olhe.
Fico feliz em poder tirar isso do meu peito e desculpe se houve algum erro de digitação, obrigado por deixar eu compartilhar essa história com você.
submitted by kionda_movey to desabafos [link] [comments]


2020.11.19 17:53 janos-leite Implicações éticas das novas tecnologias da informação

As tecnologias da informação produzem diversas mudanças na vida social. Por exemplo, novas formas de interação social entre indivíduos distantes fisicamente, porém conectados pela internet. Esses efeitos podem parecer inofensivos, mas eles podem se tornar um assunto bastante controverso. A tecnologia não apenas expande o alcance da ação humana, ela pode alterar permanentemente o modo como as pessoas se relacionam e também o que elas esperam de uma interação social. A leitura que se faz da pessoa com quem se está interagindo, por exemplo, é diferente quando não se pode avaliar suas reações emocionais e componentes não-verbais da comunicação.
Com o avanço da análise de dados, é provável que os aplicativos consigam ler sinais gestuais ou analisar sentenças e tom de voz de uma pessoa, usando câmera e microfone, para compreender o comportamento de usuários melhor do que eles mesmos compreendem. Quais seriam as implicações éticas desse tipo de tecnologia?
Algumas técnicas de avaliação psicológica deveriam ser usadas apenas com consentimento, por uma pessoa qualificada e somente num contexto terapêutico. Usar certas técnicas de psicologia fora dessas condições é eticamente questionável, pois as consequências podem ser desastrosas. Infelizmente tais técnicas são rotineiramente usadas por praticantes de coaching, e podem ser aplicadas para novas tecnologias de interação também.
Em 1936, Dale Carnegie lançou um livro chamado Como fazer amigos e influenciar pessoas, que se tornou um dos mais vendidos e mais influentes de todos os tempos, sendo o grande responsável pelo estabelecimento do gênero conhecido como “auto-ajuda”. No livro, Carnegie enumera uma série de dicas para ser melhor sucedido nas interações. Mais recentemente, o livro recebeu uma atualização para o contexto da era digital, mostrando que ele permanece relevante nas interações via internet.
Essas técnicas podem realmente ajudar a lidar com pessoas, mas também podem dar ferramentas perigosas nas mãos de pessoas com traços sociopatas. Num artigo de 2013, Diane Brady lembra que Jeff Guinn, autor de um livro sobre Charles Manson, afirmou que “foi o treinamento de Carnegie que auxiliou a transformação de Manson de ‘um cafetão de baixo nível’ para um ‘sociopata assustadoramente eficaz’, que criou um culto de assassinos no final dos anos 1960”. Quando tais técnicas estão facilmente disponíveis para serem usadas por qualquer pessoas e para qualquer fim, problemas irão surgir.
A normalização de certas tecnologias sociais antes que compreendamos seu efeito na subjetividade também pode ser um problema. Isso já está acontecendo nas redes sociais, quando as técnicas para “ganhar mais seguidores” alteram a lógica das interações cotidianas. Fica pior ainda quando as novas gerações já tem sua socialização primária mediada por estas disposições.
Outro problema diz respeito à nossa relação com inteligências artificiais. O problema de convivermos com simulações pode ser observado no efeito de “dating sims” (simuladores de encontros) na sociabilidade. Estes softwares oferecem interações simuladas para pessoas que podem nunca ter experimentado interações daquele tipo na vida real, o que pode moldar suas disposições afetivas na vida real.
No artigo Should Children Form Emotional Bonds With Robots? (Crianças deveriam formar laços afetivos com robôs?), Alexis Madrigal cita Sherry Turkle para criticar essa mediação tecnológica logo na infância, afirmando que crianças precisam de conexões com pessoas reais para amadurecer emocionalmente. “Empatia simulada não é suficiente. Se os relacionamentos com brinquedos inteligentes nos afastam daqueles com amigos ou familiares, mesmo parcialmente, poderemos ver crianças crescendo sem as condições necessárias para uma conexão empática. Você não pode aprender isso com uma máquina”.
Mas será que nossa sociedade providencia um ambiente onde as relações com pessoas reais podem acontecer sem serem mediadas por tecnologias? Será que as condições para o amadurecimento emocional estão igualmente disponíveis para todas as pessoas? Será que adultos são emocionalmente maduros o suficiente para lidar com as novas tecnologias da informação?
Existe um risco de se perder referências sociais e emocionais, na medida em que a distinção entre uma reação humana real e uma simulada se dissipa. As relações emocionais maduras são resultado de uma construção social. Quando se interage com um robô dizendo “é só um robô, posso fazer o que quiser”, uma parte da empatia para com pessoas reais pode ser comprometida. Um fenômeno semelhante ocorre com a banalização da violência, quando se diz “é só um filme”. O efeito dessa perda de empatia afeta principalmente certo arranjo de gênero, classe e etnia, o que significa que essa perda de empatia se reflete principalmente numa intolerância racista, sexista e elitista.
No artigo Not every kid-bond matures (Nem todo vínculo infantil amadurece), Gabriel Winant, resenhando o livro Kids These Days: Human Capital and the Making of Millennials (Crianças nos dias de hoje: capital humano e a geração dos millennials), de Malcolm Harris, argumenta:
“A crise generalizada do capitalismo (…) impôs uma enorme pressão competitiva aos jovens para produzir ‘capital humano’. Esse conceito, essencial no pensamento econômico neoliberal, quantifica o conjunto de qualidades humanas economicamente valiosas, educação, habilidades, disciplina, acumuladas ao longo de uma vida. Está no subtítulo do livro porque é a chave do argumento de Harris. A mão oculta que molda millennials, produzindo nossos atributos estereotipados aparentemente diversos e até contraditórios, é o imperativo de intensificação, tanto exterior como também profundamente internalizado, da maximização do nosso próprio valor econômico potencial. (…) O capitalismo está comendo nossos jovens. É só nos alimenta com abacates para nos engordar primeiro.”
É possível deduzir uma relação entre a mediação tecnológica da interação e o conceito de capital humano? Isso exigiria mais pesquisa, porém permita-me adicionar mais um ingrediente nesta sopa e problematizar um pouco mais.
Num artigo de 2018, chamado How the Self-Driving Dream Might Become a Nightmare (Como o sonho da auto-direção pode se tornar um pesadelo), David Alpert pergunta: “O que acontecerá se aceitarmos que um certo número de mortes de pedestres é uma parte inevitável da adoção de veículos autônomos?”. Este problema ético não é tão simples quanto parece. Não basta, por exemplo, dizer que os pilotos automáticos são mais seguros que os motoristas humanos, porque há outros fatores nessa questão. Por exemplo: quem será responsabilizado por esses acidentes? A reflexão foi estimulada pela notícia da primeira morte num acidente com veículo auto-dirigido. A conclusão do autor é que, provavelmente, os próprios pedestres podem ser responsabilizados.
Alpert oferece o seguinte experimento mental: imagine que duas empresas concorrentes ofereçam o mesmo serviço de transporte com veículos autônomos. Uma delas tem um algoritmo um pouco mais cuidadoso para evitar acidentes, e a outra tem um algoritmo mais “ousado”, que resulta em tempos de viagens significativamente menores. Uma pessoa atrasada para uma reunião importante escolhe o serviço que oferece mais rapidez, e no caminho uma pessoa é atropelada. Qual a responsabilidade da pessoa que, sinceramente, só queria chegar mais rápido ao seu compromisso?
A tendência das empresas é dizer que há “pessoas demais na rua”, e as mortes de pessoas podem acabar sendo justificadas em nome da velocidade, do mesmo modo como já são quando se escolhe locomover-se de carro e não com transporte público.
As reflexões éticas em relação a veículos autônomos podem ser aplicadas a outras tecnologias. De quem seria a responsabilidade pela insensibilização e perda da referência emocional com o uso de tecnologias sociais, por exemplo?
Em What Do We Know About Autonomous Vehicles?, Carl Anderson defende que veículos autônomos terão muito impacto em nossas vidas, mas essa tecnologia “está chegando”, não há nada que possamos fazer para impedi-la de ser desenvolvida, e nossas reflexões éticas deveriam se restringir a pensar em como conviver com ela. Essa posição me parece irrazoável, determinista e eticamente injustificável.
A afirmação de que certa tecnologia “já está aqui” e não pode ser resistida implica num posicionamento ético que dá um valor intrínseco ao desenvolvimento tecnológico. É uma atitude determinista afirmar que algo será feito independente das nossas considerações éticas. É também um tipo de otimismo injustificado, que pressupõe que nenhum problema ainda desconhecido se colocará no caminho desse desenvolvimento, como de fato ocorreu em diversos momentos da história, em que se construiu uma imagem de futuro que na verdade não se realizou.
Anderson reduz as questões éticas relacionadas à essa tecnologia dizendo: “As pessoas morrerão à medida que desenvolvemos as capacidades de veículos autônomos – assim como as pessoas morreram durante o desenvolvimento de aeronaves, viagens espaciais ou submarinas. As grandes inovações sempre têm um custo humano, mas a tecnologia sem motorista deve resultar em uma redução significativa das mortes anuais de automóveis”.
O que acontece quando assumimos a validade dessa justificação? Pessoas irão morrer, mas essas mortes são apenas o “custo humano” de todas as tecnologias. Cientistas tem o direito de sacrificar vidas em nome do progresso científico? Se há uma linha que separa a ética da ciência da realidade do avanço científico, como traçá-la?
Anderson diz que:
“Inevitavelmente, os veículos se deparam com o “problema do bonde”, um dilema ético em que o veículo precisa decidir entre duas ou mais ações, cada uma com algum custo – por exemplo, o que é pior: desviar para a esquerda e matar quatro avós ou desviar à direita e matar uma mãe e seu bebê? Alguém tem que programar esses comportamentos ou desenvolver uma IA que aprenda a tomar essa decisão. Não temos certeza de quem tomará essas decisões éticas e quem as regulamentará.”
O problema é que, assumir que tal programação seria eticamente válida é um equívoco. Como Brianna Rennix e Nathan J. Robinson argumentam em The Trolley Problem Will Tell You Nothing Useful About Morality (O problema do bonde não lhe dirá nada útil sobre a moralidade), reduzir a ética a esse experimento mental não apenas é equivocado em termos filosóficos, como pode ser prejudicial à saúde mental, reduzindo nossa capacidade empática.
Outra afirmação de Carl Anderson: “Assim como os smartphones dissolvem a separação entre vida profissional e doméstica, os veículos autônomos também dissolvem a separação entre vida doméstica, de transporte e de escritório”. Em outras palavras, as pessoas poderão trabalhar enquanto comutam. E como exatamente este autor pensa que isso seria bom para a sociedade?
O mesmo tipo de problema ético vem à tona quando se considera o estudo dos algoritmos e técnicas de mineração de dados para maximização da influência em redes sociais. O que acontece quando descobrimos as técnicas mais eficazes de “incentivar pessoas a adotar uma linha de pensamento”? Na prática isso significa manipulação. A ideia de que precisamos “manipular ou ser manipulados” pode estar se popularizando na internet, com efeitos desastrosos para a ética.
Eu não vou tentar solucionar este problema aqui. Mas as implicações éticas complexas das novas tecnologias são um dos motivos que devem nos levar a questionar a lógica inerente ao progresso tecnológico de modo ainda mais fundamental do que temos feito até agora. A radicalização das críticas à modernidade pode transformar a filosofia num incômodo para entusiastas do progresso científico, mas pode também evitar a perda de aspectos fundamentais da nossa humanidade.
submitted by janos-leite to Filosofia [link] [comments]


2020.08.15 21:50 PapaBento123 Hoje o jovem sai da escola pública sem nenhuma preparação para exercício de qualquer ofício: ensino técnico deve ser fomentado.

A "intelectualidade" da academia tá cada vez mais desconectada da realidade. Colocam o pobre como um indivíduo sem capacidade de saber o que é melhor para si e reclamam para si o "fardo" de defender seus interesses. Por isso que o "mindset" do brasileiro médio não corresponde àquilo que é esperado pelo mercado de trabalho. Não percebem que só tem valor a habilidade para a qual existe demanda. Essa galerinha que fala de "colocar o pobre pra dentro da universidade" não compreende que existe necessidade muito superior de eletricistas, encanadores ou mecânicos do que de engenheiros - não é a toa que o meme do engenheiro uber já virou realidade. Hoje o filho do pedreiro que cursou até 4 série e tira 3k por mês com a diarista que foi até a 8 e ganha mil e quinhentos/mês entrou num curso de Ciências Sociais na Anhanguera e recebe menos do que seus pais sem estudo nenhum. Grande avanço!
Por esse motivo nós encontramos hoje aberrações como a que eu citei acima. Um mero curso num SENAC da vida é muito mais valorizado pelo mercado do que um diploma numa uniesquina. Não conheço muitos pedreiros, mas os três ou quatro que já trabalharam na minha casa com certeza ganham muito mais que a imensa maioria dos adEvogados formados na Estácio de Sá. Só não vai ser chamado de dotô...
Encher a escola pública de conhecimento inútil e de teoria impraticável porque os "pensadores" que vivem no ar-condicionado e nunca pisaram numa fábrica dizem que é dever do Estado fomentar o que entendem por cidadania é mais do que imbecilidade: é mau-caratismo, pois ao fazer isso estão condenando o pobre a sê-lo eternamente. Sai-se do Ens. Médio sem nenhum conhecimento prático e objetivo e sem a menor qualificação para entrar no mercado de trabalho.
Em razão desses fatos é porque eu defendo o Ens. técnico com unhas e dentes. Para os jovens de classe média baixa que buscam ascender na vida, é muito mais válido aprender um ofício e algo para que de fato exista demanda (ainda que seja mal-visto pelos dotôres) do que passar 5 anos numa faculdadezinha pra se formar num curso ridículo e depois de vender a alma pro diabo pra conseguir emprego, receber 1500 reais pro resto da vida.
submitted by PapaBento123 to brasilivre [link] [comments]


2020.05.23 13:53 cowboy_pantaneiro Se um forte traço de Bolsonaro é sua personalidade inconsequente e subversiva, seu ponto fraco se revela em suas tendências psicóticas - e é no mínimo razoável imaginar a oposição tentando fazê-lo enlouquecer de vez

Não é novidade pra ninguém que observe a rotina deste homem de perto que ele demonstre paranóias constantes, como dormir com uma arma ao alcance das mãos e desconfiar o tempo todo que sua comida pode ter sido envenenada, possua crenças fervorosas às mais diversas teorias da conspiração, e a tendência ao absurdo em tudo aquilo que pensa e que mal consegue articular em sua fala sem que a língua enrole. E isso não é de hoje e nem começa com ele na cena do planalto.
Temos um homem cujo primeiro destaque público foi sua prisão por planejar plantar bombas em quartéis militares, quebrando uma rígida regra de hierarquia e entusiasmando colegas seus a se revoltarem junto a ele.
Depois de anos vivendo no ostracismo como deputado, Bolsonaro ganha destaque inédito nas redes sociais: nada mais é do que o poder de uma voz absurdamente apelativa incendiando uma platéia de milhares de pessoas. Um entusiasta com a habilidade de cativar as massas comparável à de pastores experientes com intenções excusas, mas diferente desses, um frontman que parece acreditar fielmente no próprio pensamento e discurso desconexo da realidade. Bolsonaro parece incapaz de julgar seu próprio comportamento e aprender com os erros, talvez seja um exemplo extremo do prepotente dono da verdade e da bola.
Tudo isso é evidenciado com uma breve análise da história pública e da vida particular de Bolsonaro. Seus irmãos o descreveram em diversas entrevistas como um ser que sempre foi iluminado, desde cedo o orgulho da família, nascido para brilhar. Messias é apenas seu segundo nome, mas em sua cabeça e possivelmente na de seus pais, messias é sua missão divina.
Junto a essa personalidade extremamente messiânica e narcisista existe uma outra face, que revela medo, desconfiança, paranóia, delírios, impulsividade e agressividade, inclusive com seus próximos.
Isso tudo indica uma ampla vulnerabilidade psicológica da qual seus opositores provavelmente conhecem muito bem. Qualquer manchete sensacionalista, menção a crimes e investigação ou acusações pessoais, projetam em sua mente uma ameaça atormentadora contra sua vida e sua missão na terra, seguida de uma reação desproporcional e impulsiva, como se o inimigo estivesse sempre ao seu lado e pudesse ser qualquer pessoa. Bolsonaro chega ao ponto de confessar suas próprias intenções ilegais em entrevistas e se auto-incriminar perante a mídia numa simples tentativa de se defender. Quanto mais pressão colocam sobre ele e sua família, mais espinhos Bolsonaro solta. Mais leis ele atravessa. Mais adeptos insanos conquista, e mais rastro de destruição evidencia.
Se essa estratégia continuar em uso por muito tempo, teremos dois possíveis desfechos pra essa história: a perturbação mental finalmente desmancha Bolsonaro em delírios irreversíveis, ou então passaremos anos dentro de uma realidade que nada mais é do que a projeção de uma mente em psicose perturbada desde a infância.
submitted by cowboy_pantaneiro to brasil [link] [comments]


2020.05.08 02:49 TheCuritibaGuy Inteligência Emocional: Como atingir a plenitude emocional segundo Salovey e Mayer.

Inteligência Emocional: Como atingir a plenitude emocional segundo Salovey e Mayer.
https://preview.redd.it/ccsoe1xytfx41.jpg?width=1080&format=pjpg&auto=webp&s=6595be03eed336696d521a294caeb0aa22d3424b
Nos últimos anos, a inteligência emocional tem estado em alta. Podemos situar seu aparecimento em 1990, em um livro no qual Salovey e Mayer tentam explicar o que é a inteligência emocional e como ela se articula em nossas condutas e mentes. Salovey era um professor da Universidade de Yale, enquanto Mayer era um estudante de pós-doutorado na época. Apesar disso, muita gente atribui o conceito ao seu melhor divulgador, Daniel Goleman.
O conceito de inteligência emocional é ligeiramente diferente para Salovey e Mayer do que é para Goleman. Abaixo veremos as divisões desse tema para os dois autores:
Percepção das emoções
Segundo Salovey e Mayer, a capacidade de perceber e expressar as próprias emoções e as alheias corretamente é a primeira habilidade da inteligência emocional. Dentro dessa situação, a princípio a pessoa deve ter a capacidade de saber e entender o sentimento momentâneo, não apenas as emoções, mas também o pensamento como um todo. Em segundo lugar, a pessoa deve compreender o que o próximo está sentindo, tanto através da emoção alheia, quanto da arte que essas expressam tendo assim, empatia. Na terceira fase, é aprendido a expressar as próprias emoções da forma correta, transmitindo suas necessidades conforme seus sentimentos. E por fim, em quarto lugar, a pessoa consegue a partir das emoções dos outros diferenciar as expressões corretas das incorretas.
Uso das emoções
Na primeira fase, as pessoas dirigem seu pensamento à informação mais importante. Nesse momento ainda não são levados em consideração os próprios sentimentos. Na segunda etapa, pelo contrário, as emoções começam a ter intensidade suficiente para serem identificáveis. Por isso, a pessoa é capaz de utilizá-las como auxílio para tomar uma decisão.
Segundo Salovey e Mayer, na terceira fase as emoções fariam a pessoa passar de um estado emocional para o outro. Assim ela seria capaz de pensar em diferentes pontos de vista sobre um determinado tema. E por último, na quarta fase, os sentimentos da pessoa levariam ela a tomar decisões mais corretas e a pensar de maneira mais criativa.
Entender emoções
Para ser capaz de entender as emoções dos outros é importante conhecer a suas próprias emoções. Muitas das causas das própias reações emocionais podem ser as causas das emoções dos outros, e quando se aprende a distinguir as próprias emoções e que se entende as coisas que podem contribuir e causar essas emoções, é possível utilizar deste autoconhecimento para entender as emoções dos outros, contribuindo assim para o desenvolvimento se sua empatia e, facilitando assim, as relações de sociais no trabalho.
Controle e (transformação) da emoção
Todas as pessoas passarão por momentos tristes ou frustrantes em suas vidas, por isso é importante aprender a lidar com as emoções. É muito mais fácil lidar com as emoções positivas do que com as negativas, entretanto, não é menos importante aprender a lidar com as positivas também, pois, em momentos de euforia você pode também tomar uma atitude errada.
As emoções negativas são mais difíceis de lidar, portanto, a importância de aprender a canalizar forças para conseguir superar o momento difícil e tentar manter sempre a calma, é recomendado procurar distrações para facilitar no controle destas e filtrar, além disso, filtrar pensamentos que são ou não importantes para a solução do problema.

Referências: Aqui, Aqui e Aqui.
submitted by TheCuritibaGuy to brasil [link] [comments]


2020.02.12 23:32 nanomvrk9 GUIA DO CALOURO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

  1. SOBRE O CURSO:
O curso tem como objetivo formar profissionais com embasamento na área de Ciência da Computação, capazes de atuarem no planejamento, desenvolvimento, implantação e administração de soluções computacionais para problemas comerciais, industriais e científicos.
  1. ATENDIMENTO PSICÓLOGO:
A universidade oferece suporte psicólogo gratuitamente, duas vezes por semana. Atente-se nos editais e nos murais para saber quando começará e como agendar; o local de atendimento localiza-se no bloco A. Cuide da sua saúde mental, ela importa!
  1. INICIAÇÃO CIENTÍFICA:
O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica é uma forma do aluno iniciar-se na pesquisa sob a orientação de um professor. O objetivo do PIBIC é fomentar a pesquisa, viabilizando a produção de conhecimento e o desenvolvimento de habilidades que permitam a iniciação do aluno neste campo. Os programas de iniciação científica acrescentam muito em seu currículo acadêmico, o que faz diferença no mercado de trabalho.
  1. PROJETO DE EXTENSÃO:
A Extensão Universitária é uma das ações sociais da UEMS, que tem por objetivo promover o desenvolvimento social, impulsionar projetos e programas de extensão que consideram os saberes e fazeres populares e garantem valores democráticos de igualdade de direitos, respeito à pessoa e sustentabilidade ambiental e social.
  1. ONDE BUSCAR INFORMAÇÕES:
Informações sobre o curso, documentação pessoal e afins você encontrará na secretaria do bloco G, no segundo andar. Informações mais específicas, sobre projetos sociais e auxílios ofertados pelo governo você encontrará na sala da assistente social que se encontra no bloco A.
  1. CURSOS:
No decorrer do ano, a universidade oferece alguns cursos extracurriculares (gratuitos), que ajudam você a ter um conhecimento específico da área de computação. Os cursos não costumam ser de longa duração e contam horas complementares. Vale a pena se inscrever!
  1. HORAS COMPLEMENTARES:
As horas complementares são uma das alternativas para o aluno cumprir a carga horária extra exigida; antes de se formar você deverá ter cumprido 500 (quinhentas) horas complementares obrigatórias. Para cumprir essa carga horária basta participar de palestras, cursos e atividades extras oferecidas.
  1. INTERCÂMBIO:
Todo ano são ofertadas "X" quantidades de bolsas para realizar um intercâmbio pela universidade — não costumam ser muitas vagas e deve-se passar por um processo seletivo antes. Fique sempre atento no site do curso (comp.uems.br) para saber quando será lançado as regras e exigências pelo edital para concorrer a vaga.
  1. ATLÉTICA DE COMPUTAÇÃO:
A Atlética promove e coordena a parte esportiva da faculdade, com treinos e campeonatos externos e internos em diversas modalidades, além de realizar eventos de integração através de festas e comercialização de produtos próprios.
  1. PRINCIPAIS FESTAS:
As Atléticas de todos os cursos costumam realizar muitas festas no decorrer do ano, mas as principais são: * Atleticana; * Integra; * CarnaFAEN; * JIAD; * Cervejada da FAEN; * Humanas x Exatas. Fique atento nas datas informadas através das redes sociais!
  1. ESTÁGIOS:
Os estudantes de Ciência da Computação costumam realizar o estágio somente no último ano do bacharelado, mas é sempre bom ficar de olho nas oportunidades ofertadas. Para saber se há estágio disponível, acesse o site do curso (comp.uems.br), você sempre encontrará as informações necessárias disponíveis por lá! O estágio é extremamente importante para se adquirir experiência no mercado de trabalho, aprender novas tecnologias e por conta das horas complementares obrigatórias.
  1. SEMANA INTEGRADA DA COMPUTAÇÃO:
Todos os cursos possuem uma semana dedicada especialmente a ele. Na semana integrada da computação você pode se inscrever para palestras e mini-cursos, que acrescentarão em seu currículo acadêmico, aprende tecnologias novas, se integra com os estudantes de engenharia de computação e sistemas da informação, conhece melhor o mercado de trabalho e conta horas complementares. Fique atento nas datas de inscrição!
  1. ASSISTÊNCIA SOCIAL:
A equipe de assistência social da universidade é responsável por ajudar e encaminhar o aluno em questões para conseguir auxílios fornecidos pela universidade e pelo governo ou até mesmo problemas como racismo, homofobia, xenofobia e afins, ou seja, se você estiver com algum problema nesse quesito você deve recorrer à Assistência Social que está localizada no bloco A.
  1. AUXÍLIOS:
A universidade oferece diversos auxílios para os estudantes, entretanto, com poucas vagas disponíveis, para garantir o acesso ao auxílio é necessário ficar atento no site da UEMS, pois lá serão postados os editais com as regras e documentos necessários para concorrer a vaga. É importante também que você possua uma conta-corrente do Banco do Brasil, pois será por este banco que você receberá o auxílio. A universidade oferece os auxílios abaixo: * Auxílio Permanência; * Programa Vale Universidade; * Programa Vale Universidade Indígena; * Programa Institucional de Bolsas de Extensão; * Bolsa Cultura; * Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica; * Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação; * Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência. Acesse aos editais no site da universidade.
  1. BIBLIOTECA:
A universidade oferece uma excelente biblioteca juntamente coma UFGD, a Biblioteca Central localiza-se em frente ao bloco A. Lá você terá acesso a todos os livros exigidos pela faculdade e também, um ótimo espaço para estudos em grupo ou singulares. Para ter acesso aos livros você irá precisar da carteirinha da biblioteca, para adquiri-la basta levar uma foto 3x4 e o número do seu registro de matrícula (RGM) e fazer a solicitação.
  1. ALIMENTAÇÃO NA UNIVERSIDADE:
Infelizmente, a UEMS não oferece um restaurante universitário com preços acessíveis, mas todos os dias na cantina vende-se uma marmita com 3 opções de cardápio para todos os gostos e necessidades por R$12,00, mas vende-se também comida japonesa, salgados, doces, refrigerantes e sucos. Por questões mais acessíveis, há fora da faculdade lugares que vendem café e todos os tipos de lanches por preços mais acessíveis!
19 - REDES SOCIAIS E SITES RELEVANTES PARA ESTAR CONECTADO COM A UNIVERSIDADE:
Reddit(nosso centro de informações): compsciuems
✓ Instagram: - @aaacompdds - @sic.dourados - @tevinauemsofc - @tevinagd - @heroinasdigitais - @uemsoficial - @ligadasatleticas
✓ Sites: - comp.uems.br - uems.br - comp.uems.b~nilton/
submitted by nanomvrk9 to compsciuems [link] [comments]


2020.02.10 01:17 Phoebird Fui no churrasco hoje e eu percebi que definitivamente não entendo os seres humanos

Fiz esse post há 10 dias atrás, perguntando sobre como agir em um churrasco:
https://www.reddit.com/brasil/comments/ewci13/sou_antisocialt%C3%ADmido_e_fui_convidado_para_um/
Eu me senti ansioso sim, mas nem tanto, eu senti mais uma indiferença enorme por tudo e todos ao meu redor. Não sei se é falta de empatia ou identificação. Eu sei que todo mundo tem algo em comum, mas tava difícil encontrar algo. Nem a mesma comida, comíamos.
Não consegui fazer nada do que planejei, não consegui nem me apresentar direito, sei lá, percebi uma falta de interesse. Tentei fazer uso daquele princípio de tornar-me verdadeiramente interessado pelo outro, falar de assuntos que ela gosta e fazer ela se sentir importante. Cara, eu não encontrei oportunidades de fazer essas coisas. Minha voz era muito baixa, literalmente e no sentido figurado.
Tô mais triste com minha falta de habilidades sociais do que arrependido ou preocupado em como as pessoas me perceberam. Pelo menos, eu fui. Espero que possa aprender com isso.
submitted by Phoebird to brasil [link] [comments]


2020.01.04 16:12 Rubens322 6 verdades sobre a depressão e como superá-la

6 verdades sobre a depressão e como superá-la
Para as pessoas que sofrem de depressão, é importante ter compaixão de si mesmo e tomar medidas para superar esse estado, inclusive buscando ajuda. Lembre-se de que, não importa o que sua voz interna crítica possa lhe dizer, a situação está longe de ser desesperadora.
Insônia e depressão!
Outubro é o mês de triagem nacional da depressão. Um em cada dez americanos luta contra a depressão. Um equívoco comum sobre a depressão é que é algo que as pessoas podem simplesmente "escapar". Infelizmente, para as pessoas que sofrem de transtorno de depressão grave, não é tão simples. Embora a depressão possa ser grave, está longe de ser desesperadora. Existem tratamentos e ações eficazes que as pessoas podem adotar para superar esse distúrbio. Há certas verdades sobre a depressão que são importantes para entender, pois visamos esse distúrbio debilitante que geralmente se estende por gerações.
1) Depressão é mais do que apenas um mau humor. Como mencionei acima, é importante para amigos e parentes daqueles que lutam para entender que as pessoas que sofrem de depressão não podem simplesmente se sentir melhor. As pessoas que sofrem de depressão maior precisam realmente de tratamento profissional. A depressão é um problema da mente / corpo e deve ser tratada com a mesma autocompaixão e busca de tratamento com as quais trataríamos qualquer doença grave. Diferentes formas de terapia e / ou medicamentos funcionam para pessoas diferentes. De acordo com a American Psychological Association(APA), a psicoterapia pode beneficiar os indivíduos deprimidos, ajudando-os a descobrir os problemas da vida que contribuem para a depressão, identificar o pensamento destrutivo que os faz se sentirem sem esperança, explorar os comportamentos que exacerbam a depressão e recuperar a sensação de prazer em suas vidas.
2) A depressão está afetando as pessoas mais jovens. No que foi referido no campo da psicologia como "o esverdeamento da depressão", os jovens relatam níveis crescentes de estresse e depressão. De acordo com o Centro Federal de Serviços de Saúde Mental, "a depressão afeta até um em cada 33 crianças e um em cada oito adolescentes ". A APA também informou que um número maior de estudantes universitários está procurando tratamento para depressão e ansiedade, com o número de estudantes em medicamentos psiquiátricos aumentando em 10% em 10 anos.
Como destaquei no meu blog recente " Depressão nas mães ", os bebês nascidos de mulheres que sofriam de depressão durante a gravidez têm "níveis mais altos de hormônios do estresse ... bem como outras diferenças neurológicas e comportamentais". Portanto, seja com base em fatores biológicos ou em novas demandas sociais e acadêmicas, a vulnerabilidade entre os jovens torna ainda mais essencial o direcionamento da depressão mais cedo e com mais eficácia. Estudos mostraram resultados promissores para intervenções precoces em crianças em idade escolar que apresentaram sintomas de depressão.
3) A atenção plena pode ajudar na depressão recorrente. Existem muitos tratamentos excelentes por aí que se mostraram eficazes para lidar com a depressão. Pesquisa do psicólogo Mark Williams, co-autor de The Mindful Way Through Depression , mostrou que a terapia cognitiva baseada na atenção plena (MBCT) pode ter um efeito positivo na prevenção de recaídas em pacientes deprimidos recuperados. Sua pesquisa indica que, se você ensina pessoas com habilidades de atenção à depressão recorrentes , como exercícios de meditação e respiração, reduz as chances de ter outro episódio depressivo.
As práticas de atenção plena não mudam nossos sentimentos ou pensamentos, mas mudam nosso relacionamento com nossos sentimentos e pensamentos. Isso permite que uma pessoa com tendência à depressão não seja absorvida pelos pensamentos e sentimentos que contribuem para a depressão. Outra maneira de as habilidades de atenção plena poderem beneficiar as pessoas que sofrem de depressão é ajudá-las a serem mais capazes de regular e tolerar emoções.
4) A raiva costuma estar subjacente à depressão. Muitas vezes, uma forte emoção por trás da depressão é a raiva. A raiva pode ser uma emoção difícil de lidar, mas na verdade é uma reação humana natural à frustração. Ficar com raiva pode parecer que isso só faria você se sentir pior, mas quando você não lida diretamente com a raiva, tende a se virar contra si mesmo. É importante permitir-se a liberdade de sentir plenamente seus sentimentos, mas ao mesmo tempo, controlar-se de representá-los de qualquer maneira que seja prejudicial. Você pode reconhecer e aceitar sua raiva de maneira saudável que libera a emoção sem permitir que ela apodreça ou seja transformada em um ataque a si mesmo.
5) A depressão é alimentada por um crítico interno. Todos nós temos um crítico interno, ao que meu pai, psicólogo Dr. Robert Firestone , se refere como sua " voz interior crítica ". Para pessoas deprimidas, essa voz interna crítica pode ter uma influência poderosa e destrutiva em seu estado mental. Pode estar lhes dando um comentário distorcido sobre suas vidas: você é gordo demais para sair de casa. Você é tão estúpido. Ninguém nunca vai te amar. Você não é capaz de ser feliz. Você nunca terá sucesso em nada . A voz interna crítica pode convencê-lo a agir de maneiras destrutivas:Apenas fique sozinho; ninguém quer ver você. Coma outro pedaço de bolo; Isso fará você se sentir melhor. Você nem deveria tentar esse trabalho; você nunca vai entender. Finalmente, depois de ouvir suas diretrizes, a voz interna crítica o atacará por suas ações: você é um perdedor, ficando em casa sozinho no sábado. Você estragou sua dieta novamente. O que há de errado com você? Você nunca conseguirá um emprego decente. Você é tão preguiçoso .
Combater a depressão significa enfrentar esse inimigo interno. Isso pode envolver investigar seu passado para ajudar a determinar de onde esses pensamentos críticos vieram. Como esses pensamentos afetam as ações que você toma em sua vida? Como você pode desafiar essas "vozes" em um nível de ação?
6) Existem etapas ativas que você pode executar para aliviar a depressão. Um dos piores sintomas da depressão é um sentimento de desesperança. Esse mesmo sentimento pode inibir alguém que sofre de tomar as medidas que os ajudariam a combater sua depressão. No meu blog " Oito maneiras de combater ativamente a depressão ", descrevo uma série de ações que as pessoas podem adotar para combater a depressão. Esses incluem:
• Reconhecendo e desafiando sua voz interior crítica • Identificando e sentindo sua raiva • Envolvendo-se em atividades aeróbicas • Se colocando em situações sociais ou não isoladas • Realizando atividades que você desfrutou uma vez, mesmo quando não gosta • Assistindo a um filme engraçado ou show • Recusando-se a se punir por se sentir mal • Consultando um terapeuta
Para as pessoas que sofrem de depressão, é importante ter compaixão de si mesmo e tomar medidas para superar esse estado, inclusive buscando ajuda. Lembre-se de que, não importa o que sua voz interna crítica possa lhe dizer, a situação está longe de ser desesperadora. Existe uma boa ajuda disponível e muitas maneiras ativas de tratar sua condição. Para obter mais ajuda ou informações, visite o Instituto Nacional de Saúde Mental .
Se você estiver interessado em aprender mais, junte-se a mim no dia 8 de outubro para o seminário on-line gratuito " Superando o inimigo interno que causa depressão ".
Recursos de prevenção de suicídio:
SE VOCÊ OU ALGUÉM QUE VOCÊ CONHECER ESTÁ EM CRISE OU PRECISA DE AJUDA IMEDIATA, LIGUE para a Linha de Vida da Prevenção Nacional de Suicídio - 1-800-273-TALK (8255). Esta é uma linha direta gratuita disponível 24 horas por dia para qualquer pessoa em sofrimento emocional ou crise suicida.
Para mais informações de Lisa Firestone, clique aqui .
Para mais informações sobre saúde mental, clique aqui .
Fonte!
#Depressão #Ansiedade #Sindromedopânico #Medo #Insônia
submitted by Rubens322 to u/Rubens322 [link] [comments]


2019.11.12 01:47 Phoebird Já fez algum curso para perder a timidez? Como foi?

Eu queria fazer um curso mais focado em habilidades sociais, mas tá difícil de achar no Brasil. Queria aprender como agir em determinadas situações, linguagem corporal e expressões faciais. O máximo que achei foram esses cursos de teatro para perder timidez. A ideia não me desinteressa de todo.
Você já teve alguma experiência com esse tipo de curso? Foi legal? Recomenda algum por São Paulo?
submitted by Phoebird to brasil [link] [comments]


2019.10.22 19:13 Brunoekyte Como fazer a Gestão de marketing digital

Como fazer a Gestão de marketing digital
Este artigo atende departamentos de marketing digital ou agências digitais.
O marketing digital é uma ciência nova, com pouco mais de 10 anos. Por isso faltam processos consolidados e profissionais experientes, o que, na prática leva ao ciclo de tentativa e erro até chegar ao melhor caminho. Isto consome recursos e tempo. Então vence quem consegue se manter vivo neste período e aprender mais rápido com seus erros.
Quem dita o rumo do mercado são as mídias de alcance, como o Google, Facebook, soluções de e-mail e automação. São estas potências que promovem a base de conhecimento. Então é normal que a educação seja tendenciosa, com cada uma superestimando sua solução.
Não se discute mais se o marketing online é eficaz ou não. Ser competitivo e crescer requer competência no marketing digital e esta tendência ainda está em expansão.
Agora não basta mais “fazer marketing digital”, é preciso fazer melhor que a concorrência. E para alcançar isso é preciso descobrir a resposta para as seguintes perguntas:
  • Estratégia: Como superar a concorrência no marketing digital?
  • Produção: Como ser produtivo e reduzir custos?
  • Performance: Como gerar mais retorno por investimento em mídia?
  • Enfim, como ser melhor e ampliar o ROI (retorno do investimento)?
A grande resposta é simples de encontrar, porém complexa para aplicar: excelência na Gestão de Marketing Digital.

A relevância do marketing digital nas empresas

O marketing na era digital assumiu novas responsabilidades, chegando até mesmo a invadir parte do processo de vendas, que antes era de responsabilidade apenas do departamento comercial. As novas atribuições do marketing digital são:
  • Apresentar produtos em um nível avançado de detalhes.
  • Educar o cliente para que reconheça a necessidade das soluções.
  • Realizar uma parte do atendimento em mídias sociais.
  • Conduzir o consumidor até o momento de compra.
  • Reduzir as barreiras na etapa final de decisão de compras.
O departamento comercial passou a ser reativo, recebendo leads mais qualificados. A prospecção ativa é cada vez mais cara e menos eficaz. O consumidor mudou seu comportamento na era digital e aumentou a rejeição para este tipo de abordagem.
O gestor de marketing passou a ser ainda mais decisivo no resultado geral da empresa. O orçamento do marketing está crescendo a cada ano, e a expectativa é que continue evoluindo, segundo Gartner (uma das maiores empresas de pesquisa e consultoria do mundo). Vale destacar o orçamento para soluções de tecnologia para marketing digital, que cresceu de 22% em 2017 para 29% em 2018 (Fonte: ITForum365).

O que é Gestão de Marketing Digital

A Gestão de Marketing Digital, assim como a gestão da própria empresa, visa organizar e controlar recursos para se obter os resultados esperados. Ou seja, “fazer mais com menos, e cada vez melhor”.
Os principais objetivos são:

www.ekyte.com
– CUSTO: elevar a produtividade na produção do marketing. + RECEITA: aumentar os resultados das campanhas. = + ROI: aumentar o retorno sobre o investimento.

Os desafios na Gestão de Marketing Digital

O marketing digital é novo e complexo. Criar uma publicação ou enviar um e-mail são tarefas aparentemente simples. O desafio é definir as prioridades, coordenar as ações, cumprir prazos e superar os concorrentes.
São muitos cenários possíveis e não existem padrões consolidados para determinar o caminho correto, pois o segmento ainda é novo, e por isso apresenta um cenário imaturo:
  • Faltam protocolos.
  • Faltam profissionais.
  • A educação é tendenciosa.
  • Faltam ferramentas para gestão.
É responsabilidade da Gestão de Marketing Digital superar este cenário. A chave é investir em capacitação, tecnologia e processos. E para atingir altos níveis de eficiência é preciso ser persistente.

www.ekyte.com

As prioridades na Gestão de Marketing Digital

Há dois fatores que influenciam na prioridade do marketing digital:
  • Experiência da equipe.
  • Maturidade digital da empresa.
Se uma empresa investiu pouco em marketing digital e contrata a melhor equipe, precisará passar por etapas iniciais, como: criar um site, estabelecer seu tom de voz, criar relevância no Google, conquistar uma base de seguidores, e-mail e tráfego para remarketing. Isto consome tempo, e durante este período várias ações serão inviáveis, caras ou menos eficazes.
Qual a prioridade atual da sua empresa na Gestão de Marketing Digital? O infográfico abaixo mostra um quadrante entre experiência da equipe e maturidade digital da empresa. Veja como a prioridade da gestão evolui.

www.ekyte.com
Exemplo:
  • Equipe com baixa experiência + empresa com baixa maturidade digital: Ou seja, uma empresa que está iniciando no marketing digital com sua própria equipe, que fazia apenas o marketing tradicional. Prioridade: conhecimento.
  • Equipe com alta experiência + empresa com baixa maturidade digital: Ou seja, uma empresa que está iniciando e contratou uma agência ou criou um departamento de marketing digital com profissionais do mercado. Prioridade: planejamento.
  • Equipe com alta experiência + empresa com alta maturidade digital: Estamos falando de um pioneiro ou líder, que tem uma equipe experiente e completa. Prioridade: compliance. Ou seja, padronização para que todas as ações sigam os conceitos da marca, nenhuma campanha se sobreponha à outra e para que os recursos trabalhem em sincronia.
Então analise onde sua empresa está agora e priorize o que é mais importante.

Lidere: Como fazer a Gestão de Marketing Digital

Evoluir no marketing digital é um processo dinâmico que precisa de sincronia e persistência. Definir objetivos e medi-los é essencial para aprender e evoluir. A cada novo ciclo de campanhas a experiência da equipe e a maturidade digital da empresa devem evoluir e consequentemente, os resultados irão melhorar.

O ciclo contínuo do marketing digital

As ações têm tempo de duração, geram resultados e aprendizados. A responsabilidade da gestão abrange todo o ciclo, que pode ser resumido assim:

www.ekyte.com

As fases da Gestão de Marketing Digital

A gestão se divide em 4 fases que exigem diferentes habilidades, mas se complementam. O sucesso de uma depende da outra. São elas:

www.ekyte.com
Vamos entender como cada uma funciona.

www.ekyte.com
Estratégia
É o momento de definir onde ir e como chegar. Os resultados são os planos, que guiam para as próximas fases (produção e performance). A estratégia é como um GPS: não adianta executar algo perfeito que leva para o caminho errado.
Na fase de estratégia há ações pontuais e recorrentes:
  • Pontuais: feitas uma única vez ou em intervalos maiores de tempo. Exemplo: criar ou revisar o manual da marca.
  • Recorrentes: frequentes e contínuas. Exemplo: criar um plano de campanhas.
Aprenda a planejar campanhas em Como fazer um plano de campanhas de marketing digital.
A estratégia pode ser dividida em 4 etapas:
Briefing -> análise -> aprovação -> enviar para produção

Produção

A fase de produção é responsável por colocar a estratégia em prática, seguindo os planos com recursos humanos, tecnologia e processos. Além disso, atende as demandas diárias geradas pelos clientes internos e externos. Por exemplo: manutenção de sites, criações pontuais, dúvidas e relatórios.
A produção é guiada por tarefas, que passam pelas etapas:
Briefing -> análise -> conceito -> redação -> design -> homologação interna -> homologação externa -> construção -> homologação interna -> homologação externa -> publicação
Este fluxo é dinâmico, sendo que cada etapa pode levar apenas minutos ou horas. O mesmo profissional pode assumir algumas etapas, mas é comum que várias pessoas sejam envolvidas em cada tarefa. Apesar da sequência linear das etapas, é muito comum uma demanda retornar a passos anteriores ou pular etapas.
As ferramentas para controle de tarefas e projetos utilizadas no marketing digital não estão preparadas para esta dinâmica. Não atendem a esta lógica ou são muito complexas para configurar e ajustar de acordo com a realidade de cada negócio.
Conheça o eKyte, software de Gestão de Marketing Digital que oferece um Controle de Tarefas projetado exclusivamente para equipes de marketing, além de diversas outras ferramentas.

Performance

Após concluir a etapa de publicação inicia-se a fase de performance para ampliar o alcance e conquistar os objetivos.
As etapas são:
Divulgação -> monitoramento -> otimização
A divulgação consiste em patrocinar as campanhas nos canais próprios ou de terceiros, como no caso de influenciadores digitais.
O monitoramento acompanha e mede o desempenho com dados e estatísticas.
A otimização age sobre estas métricas para tomar ações rápidas e melhorar resultados, com:
  • Ajuste de orçamento.
  • Interrupção de campanhas ou publicações.
  • Solicitação de ajustes ou novas criações.
  • Aprimoramento de segmentação de públicos.

Conhecimento

A fase de conhecimento acontece em paralelo com as demais, embora tenha uma demanda maior durante e após a performance. Afinal, são os dados reais que dão a resposta final sobre o desempenho das campanhas e geram as lições aprendidas.
As etapas do conhecimento são:
Aprendizado humano -> aprendizado de máquina (*) -> aprimorar a base estatística (**) -> prover inteligência para a estratégia.
O aprendizado humano fortalece as competências no:
  • Uso das tecnologias, por exemplo: treinamento do Google Ads, usabilidade de sites, edição de vídeos).
  • Comportamento humano, por exemplo: entender as preferências dos públicos e como aprimorar a comunicação).
  • Mapeamento de processos, por exemplo: passos para construir uma landing page, como criar um plano de campanhas, como extrair e analisar relatórios).
(*) Aprendizado de máquina ou machine learning é um ramo da inteligência artificial, que no marketing digital consiste em utilizar uma grande massa de dados e algoritmos matemáticos para encontrar padrões de comportamento. Estas análises são inviáveis sem tecnologia, pois ao cruzar os dados, milhões de combinações interferem no desempenho.
Exemplo: descobrir que a geração Y costuma clicar 3 vezes mais em anúncios de determinado produto entre 21:00 e 22:00 nas segundas-feiras. Assim pode-se reforçar as campanhas para este público neste horário e com isso aumentar significativamente os resultados.
(**) Aprimorar a base de estatística é crucial para a maturidade digital. Os dados são gerados e armazenados em ferramentas como Google Analytics, mídias de alcance como Google Ads, Facebook Ads e relatórios próprios.
Por fim, após a execução da campanha, há a medição dos resultados e consequente aprendizado, para reiniciar a estratégia e fazer ainda melhor. Manter e fortalecer o que funcionou, ajustar ou abandonar o que trouxe menos resultado.

Os profissionais e as equipes de marketing digital

A nomenclatura para cada cargo ainda é bem variada. Muitos gostam de usar nomenclaturas em inglês e há vários títulos para representar a mesma coisa. Vamos citar uma nomenclatura mais simples, mas não há certo ou errado, apenas padrões diferentes.

Equipe padrão

Uma equipe de marketing digital padrão possui os seguintes profissionais:
  • Gestor: CMO, diretor ou gerente.
  • Coordenador.
  • Analista de marketing digital.
  • Assistente de marketing digital.
  • Redator.
  • Designer.
  • Desenvolvedor web.

Equipe enxuta

Em uma equipe menor, um profissional desempenha mais de um papel:
  • Analista (e coordenador).
  • Assistente (e redator).
  • Designer (e desenvolvedor web).

Equipe ampla

Já em equipes com orçamento amplo, as atividades podem ser quebradas em ainda mais especialistas, além dos profissionais padrões citados anteriormente:
  • Analista de mídia social.
  • Analista de SEO.
  • Analista de CRO.
  • Analista de UX (usabilidade).
  • Cientista de dados.
  • Analista de testes.
  • Analista de atendimento.
  • Analista de marcas.
  • Programador front-end.
  • Programador back-end.
  • Arquiteto de software.
É papel da Gestão de Marketing Digital contratar, capacitar e dividir as responsabilidades de cada profissional da equipe.
Saiba mais em Quais são os profissionais e cargos de equipes de Marketing Digital

A eficiência na Gestão de Marketing Digital

A equação que se espera da gestão é fazer mais com menos. O que isso significa:
  • Fazer mais = mais resultado O “fazer mais” se refere ao retorno final em vendas ou meta projetada. Não significa realizar maior volume de criações. Uma equipe de marketing digital não pode ser considerada melhor que outra porque produziu 10 peças ao invés de 5.
  • Com menos = menor custo “Com menos” abrange dois aspectos que podem ser conquistados com profissionais mais capacitados, e também com melhores processos e ferramentas:
    • Planejar e produzir com menor custo de mão de obra.
    • Obter maior retorno possível sobre o investimento em mídia (ROAS), fruto de estratégias corretas e otimização das campanhas.

Principais erros na Gestão de Marketing Digital

Em cada fase podem ocorrer erros que comprometem a própria fase e as seguintes. Veja alguns exemplos de erros comuns que os gestores precisam superar:
  • Erro de estratégia O analista de marketing digital define que uma campanha terá 1 publicação por dia, mas seu orçamento é inviável para esta quantidade. O indicado seria 1 por semana. Para complicar, a publicação orgânica não gera resultados nem para pagar o custo de criação.
  • Erro de produção O designer não usa templates para agilizar o processo, nem reaproveita seus próprios modelos de sucesso de campanhas anteriores. Além de sempre fazer novas apostas que podem dar errado na performance, ele aumenta muito seu tempo de criação e também de homologação, já que se tratam de novos conceitos.
  • Erro de performance Foram criadas muitas publicações para um orçamento reduzido. Além disso o analista criou diversos públicos. O resultado deste cruzamento será um desastre: vários anúncios vão rodar para uma pequena parcela do público. O alcance será baixo e com tantas informações, será difícil chegar a alguma conclusão.
  • Erro de conhecimento A campanha acaba e os resultados são abaixo do esperado. Mas não há experiência ou cultura para interpretar os dados. Então surge a conclusão equivocada, baseada no “achismo”: “precisamos melhorar os criativos, fazer mais publicações e ampliar nossos públicos. ” Então a próxima campanha começa com ainda mais publicações e mais exigência de criatividade na produção.
Mas podemos resumir os principais erros em:
  • Falta de estratégia e planejamento
  • Priorizar o volume ao invés de qualidade
  • Dificuldade para analisar e interpretar métricas
  • Falta de persistência, pensar a curto prazo.

Ferramentas para Gestão de Marketing Digital

O número de ferramentas disparou nos últimos anos. Apesar disso, poucas são voltadas para a gestão de marketing digital. A maioria se concentra na execução das campanhas e anúncios pagos.
Comparando com um processo de manufatura, é como se a empresa trabalhasse apenas com softwares para controlar as máquinas, sem soluções para gestão empresarial. O que o mercado precisa? O que a próxima etapa do processo aguarda? Como estão os estoques? Por isto a gestão de manufatura está integrada na gestão de toda a organização.
O amadurecimento do marketing digital está indo para mesmo caminho. A gestão não pode ser feita pelas ferramentas de alcance ou por controles isolados.
A ferramenta de gestão de marketing digital precisa ser:
  • O coração da estratégia, o ponto de partida.
  • O guia dos padrões e processos.
  • O controle diário da operação.
  • A fonte de visibilidade e de medição.
  • A curadoria e a inteligência para uma evolução rápida.

Quais ferramentas sua empresa utiliza na Gestão de Marketing Digital?

Faça este exercício e crie um mapa das tecnologias empregadas em cada fase. Talvez o cenário seja algo parecido com isto:
www.ekyte.com
As soluções não integram entre si. São genéricas e adaptadas para processos imaturos de marketing digital.
Por exemplo, o RD Station ou HubSpot são excelentes plataformas de automação e disparo de e-mail marketing. Apoiam de forma parcial outros processos, como SEO e gestão de mídias sociais. Enfim, são ferramentas para a execução e não para a Gestão de Marketing Digital.

O mapa de ferramentas para Gestão de Marketing Digital

As tecnologias devem auxiliar o processo antes e depois das ferramentas utilizadas para execução das campanhas.
Seja um departamento interno ou uma agência digital, as soluções devem estar integradas e ter os seguintes recursos:

www.ekyte.com
  • Branding e planos de campanha: organizar e zelar pela estratégia da marca e diretrizes institucionais. Gerar e disseminar o Brandbook , processos, ideias e planos de marketing.
  • Planejamento de campanhas: criar o plano de campanhas recorrentes de marketing digital. Definir os objetivos, mídias, orçamento, publicações e ações.
  • Tarefas e projetos: controlar as tarefas com fluxo dinâmico e projetado para a realidade do marketing digital. Inteligência para definir o fluxo por tipo de tarefa, alocar profissionais e priorizar as demandas.
  • Colaboração e aprovação: incentivar e facilitar a comunicação entre equipe e clientes internos e externos. Briefing, atendimento às demandas e aprovação de planos e criações.
  • Atendimento: receber as demandas de clientes externos e internos, organizar e promover fluxo ágil de atendimento. Integrar com controle de tarefas para entregas mais complexas.
  • Apontamento e produtividade: registrar as horas trabalhadas e utilizar relatórios de produtividade para otimizar processos e reduzir desperdício.
  • Biblioteca digital: organizar e controlar os ativos. Evitar desperdícios e promover a visibilidade para toda a equipe, em qualquer lugar e a qualquer momento.
  • Publicação de anúncios: agilizar a postagem de mídias digitais com integração automática de anúncios, e também facilitar a publicação manual em canais sem integração.
  • Data-driven marketing 360: otimizar a produtividade e performance. Prover indicadores precisos na hora certa e transformar números em dicas inteligentes de oportunidades. Visão unificada dos resultados de todas as mídias. Simplificar a análise humana com algoritmos avançados e relatórios fáceis de compreender.
  • Inteligência artificial: utilizar machine learning (aprendizado de máquina) para encontrar padrões em grandes volumes de dados, o que é impossível para análise humana. Por fim, interpretar as métricas e indicar oportunidades.
  • Integração com mídias digitais: conectar as mídias de alcance. Agilizar a operação e promover uma visão unificada de métricas e resultados. Sem isto não há como enxergar o marketing digital de forma única, que é a forma que os consumidores enxergam.
  • Conhecimento: o marketing digital evolui muito rápido e aprender sempre é fundamental. Analisar o próprio resultado para buscar mais informação.

O novo cenário em tecnologia para Gestão de Marketing Digital

É este cenário imaturo do marketing digital que estamos trabalhando para transformar. Em 2016, sofríamos na prática com estas lacunas no processo. Então procuramos soluções de gestão, mas não encontramos. Neste momento decidimos que nossa missão seria cobrir esta lacuna e ajudar na evolução.
Então juntamos nossa experiência de 25 anos de software e 10 anos de marketing digital, para idealizar uma solução e iniciamos um projeto desafiador: o eKyte, Software de Gestão de Marketing Digital.
Assim que começamos a utilizar os primeiros recursos do eKyte os resultados apareceram e superaram nossas expectativas. A cada nova ferramenta liberada, dávamos mais um salto na produtividade e nos resultados.
A plataforma atende as 4 fases da Gestão de Marketing Digital. Atua antes e depois das soluções atuais de alcance, como Google Ads, Facebook Ads, marketing cloud, mídia programática, e-mail e automação.
Conheça o eKyte e deixe as suas sugestões ou dúvidas nos comentários deste conteúdo.

Conclusão

A internet é a principal mídia digital da atualidade. O marketing digital assumiu papel decisivo no resultado financeiro das empresas. Mas o cenário é cada vez mais competitivo. A Gestão de Marketing Digital vai definir os vencedores do mercado. Há muito o que evoluir, e a atenção deve estar em pessoas, tecnologia e processos. Seja inteligente e persistente!
Links relacionados:
submitted by Brunoekyte to MarketingDigitalBR [link] [comments]


2019.10.04 07:51 rick_gsp Recado para aqueles que estão no ensino médio

Não fica fritando para pegar mulher e/ou perder a virgindade, esse tipo de coisa acontece naturalmente. Se você sente que é feio e não pega ninguém não se preocupe, é normal, o seu corpo ainda está amadurecendo. Além disso, a vida possui coisas muito mais importantes do que beijar na boca. Na lápide de ninguém estará escrito “aqui jaz fulano que pegou X mulheres”
Cuide de seu corpo, comece a fazer alguma atividade física. Qualquer uma. Não cisme em ficar definido durante esses anos, as coisas levam um tempo para dar resultado, mas quando ele chega vc ficará mt orgulhoso de si mesmo.
Desenvolva alguma habilidade ou talento. Sério, qualquer uma. Música, desenho, photoshop, edição de vídeo, até truque de mágica serve. Mas desenvolva algo que possa ser uma válvula de escape e ao mesmo tempo uma possível fonte de renda extra no futuro.
Comece a se desprender do que os outros pensam. No ensino médio as pessoas querem muito cuidar da vida dos outros, depois isso muda, mas quanto mais cedo você parar de se importar melhor será pra você. Você não é obrigado a seguir ninguém nas redes sociais só pq é do seu colégio, use e abuse das ferramentas de silenciar.
Espere os 18 para beber. Sei que seus amigos provavelmente bebem mas não entra nessa onda, sério, espera, vai ser melhor pra você. E pelo amor de Deus não fume.
Se torne fluente em inglês até o final do ensino médio. Estamos em 2019, não saber inglês não é uma opção, e dá pra aprender de graça na internet. Caso você já saiba, recomendo fortemente que comece a terceira língua, de preferência espanhol.
Não deixe de fazer nada por causa do terceiro ano. O vestibular exige muita dedicação mas o resto da sua vida não pode parar. Concilie tudo o que eu disse acima com seus estudos.
A vida não se resume em formar, ir pra faculdade e arranjar um emprego. Infelizmente existe uma mentalidade academicista muito forte aqui no Brasil e as pessoas sentem necessidade de ir pro ensino superior apenas porque sim. Não espere o diploma de graduação para começar a ganhar dinheiro, procure formas de lucrar que independem disso.
E por fim: o melhor do ensino médio é que ele acaba. Tudo de ruim que tiver rolando vai passar. A verdade é que essa fase vai significar muito pouco no quadro geral da sua vida, então não se deixe levar.
Esses são os recados que eu queria que tivessem me dito antes dos 18. Tudo que eu escrevi tem um motivo. Se vocês seguirem esses simples conselhos vocês estarão construindo uma vida incrível. Vai dar certo.
submitted by rick_gsp to desabafos [link] [comments]


2019.08.01 02:23 RobbedDoll Ansiedade social (eu acho)[Textão à frente]

Venho acompanhando os posts desse sub há um tempo por um motivo que realmente não sei, só sei que a galera é legal então depois de umas semanas tive a ideia de fazer um post de desabafo. Não vai nem de longe resolver alguma coisa, mas sei lá, pode valer a pena.
Bom, antes de tudo, há muitas coisas na minha vida que considero problemas e precisaria desabafar sobre em um posto especifico, mas são coisas relativamente pequenas que juntas formam um grande problema então vou tentar resumir tudo seguindo uma mesma linha de raciocínio.

Finalmente começando a falar sobre mim, queria dizer que não me sinto confortável categorizando problemas por que é como se tivesse tornando-os parte da minha personalidade, por isso os parêntesis no titulo. Eu não tenho A ansiedade social, o problema que impede milhares de pessoas de viver(no sentido literal às vezes), mas tenho um problema me atrapalha nas minhas interações sociais.

Basicamente, eu sou uma "pessoa normal" que em determinado momento da minha vida me mudei e perdi todos os amigos de infância. Não consegui fazer novos na escola, porém também foi por falta de interesse, já que havia conseguido fazer uns amigos no meu bairro. Só que depois de um tempo eu acabei me distanciando desses também por ter começado a usar mais computador e ter feito uns amigos virtuais.

Ok, e o que isso tem de ruim? Bom, por aproximadamente dois/três anos da minha puberdade/transição de criança pra adolescente eu basicamente não existia na escola. Era só aquele aluno caladão que só faz as tarefas e come sozinho no intervalo. E isso, meus amigos, fodeu completamente minhas habilidades de comunicação e interação.

Tá bom, eu tô exagerando em dizer que fodeu COMPLETAMENTE, mas é quase isso. Eu apenas vou minimamente bem em interações com familiares próximos e pela internet(onde eu tenho o tempo que quiser pra formular a frase e não preciso encarar outra pessoa), em qualquer outra situação IRL eu falo muito muito mal. Tipo, mesmo. Essa parte do tempo de formular a frase é a pior, por que eu fico naquele "eeerr..." por um tempão procurando a palavra certa. Também falo muito baixo e ter que repetir o que disse pras pessoas entenderem já virou rotina.
E isso é um saco.

Por muito tempo eu não me importei com isso, mas recentemente rolou um negócio merda. Eu tentei jogar em call com um desses amigos virtuais(um dos poucos que posso considerar amigo mesmo, pq o resto é colega) e meio que a gente não conversou. Sempre que eu tentava falar algo, tinha que me aproximar do mic(celular) e elevar meu tom de voz pra ser minimamente audível. A cada vez que tentava respondê-lo, ficava mais nervoso e isso até me desconcentrou do jogo que estavamos jogando. Acabou que a call só serviu pra ele me dizer alguns detalhes do que ia fazer e eu responder de maneira genérica. A questão de responder de maneira genérica também é outro problema causado por minha negligencia em socializar, mas eu não sei explica-lo então deixa pra lá.
Essa situação em especial me deixou muito incomodado e me trouxe uma noção do quão ruim eu tava. Foi inclusive o que me fez querer mudar isso. Eu preciso melhorar minhas habilidades de comunicação não só por que vivemos em sociedade e é preciso comunicar-se pra viver nela, mas por que isso afeta meus objetivos pessoais.
Um dos meus hobbies favoritos é aprender idiomas, e meu sonho é ser um poliglota, o que é um sonho estranho pra alguém que mal fala bem no seu idioma nativo...

Além dessa parte de aprender idiomas, há um tempo atrás eu notei a merda que tava minha vida social e tentei fazer um esforço pra melhorar. Então, resumindo uma história que daria um livro, eu consegui uma amiga e através dela consegui uns outros amigos. Mas como eu sou horrível nisso, não mantenho contato com nenhum deles, nem a garota. São só gente que falo de vez em quando na sala de aula por ser inevitável não conversar num lugar daquele.

Eu sinto que tô sendo julgado o tempo todo, o que meio que é verdade(não de uma forma ruim). Eu tenho total ciência do quanto pensar assim é ruim pra mim e já tentei superar isso, mas fico sempre naquele "esquece, não vale a pena tentar interagir com aquela pessoa". Fico numa área de conforto por que sentando perto dessa amiga, eu acabo interagindo com as pessoas que interagirem com ela. Nunca vou atrás de uma conversa.
Tem muita gente legal na escola, gente inclusive que me dá ou já me deu a chance de entrar em seus respectivos "grupinhos" da sala, mas eu não consigo. Tem algo me segurando, não é confortável fazer isso.

Há uns meses eu tinha começado a praticar esportes na escolinha da escola(redundante mas faz sentido de alguma forma) e isso até que me rendeu uns colegas. O treinador principalmente, super gente fina. Mas recentemente tenho me sentido um peso pro time. Tem uns meninos que jogam infinitamente melhor que eu, têm visão de jogo. E tem eu, um cara que toda vez que vai jogar demora um tempão pra aquecer e mesmo aquecido é um lesado da porra que toma bolada por não prestar atenção nos toques.
Esse sentimento junto com o fato dos treinos serem de manhã em um horário que faço um "sacrifício" pra acordar me desmotivaram demais pra ir. Só que ao mesmo tempo fico mal por decepcionar o treinador. Eu fui um dos primeiros, um que ia mesmo sem ninguém mais na turma, treinar um jogo de time sem time...


Enfim, acho que não tem muito mais o que falar. Acabei deixando alguns pontos desconexos, mas espero que entendam. Ainda faltou muita coisa nesse "resumo da minha vida social", mas já to meio inseguro demais com esse 'pouco".
Como provavelmente da pra adivinhar pela ausência de faculdade como um problema, eu devo ser no mínimo uns dois-quatro anos mais novo que a media do pessoal daqui, então é bem possível que esses problemas sejam coisas normais pra um garoto na puberdade, mas sei la, eu me sinto muito mal por desconsiderar problemas na minha vida só por que sou jovem. Espero que não façam isso também, principalmente por que o arrependimento de ter escrito tudo isso só pra passar vergonha me perseguiria pro resto da vida. Tanto que criei uma conta só pra isso.

Agora acabando de verdade, obrigado por ler até aqui por que nem eu to com coragem pra reler o que escrevi.
(se os espaços entre as linhas tiver zoado, é que to escrevendo no new reddit do pc e um 'enter' da uma linha de espaço)
submitted by RobbedDoll to desabafos [link] [comments]


2019.04.13 21:18 EzequielBlog Dá Para Ganhar Dinheiro Na Internet Hoje Em Dia?

Dá Para Ganhar Dinheiro Na Internet Hoje Em Dia?
Dá Para Ganhar Dinheiro Na Internet Hoje Em Dia?

Ganhar dinheiro online não é fácil, mas é simples. Como assim? É simples porque basta ter disciplina, é como num emprego comum, você não tem que trabalhar todo dia? Pois é, trabalhar online é igual.

A diferença é que estamos criando um negócio nosso, que vai nos dar mais liberdade e autonomia.

Muitas pessoas tem esse desejo de abrir um negócio próprio, mas por medo ou falta de tempo, não dão o próximo passo que é começar.

Quando eu comecei em 2009 não tinha tanta informação como temos hoje, por isso, era bem mais difícil ter resultados, mas a gente ia caminhando devagar, lendo blogs e assistindo vídeos.

Hoje em dia temos muito mais informação, tem pessoas que começam hoje e já conseguem resultados amanhã, porque aplicam o que vão aprendendo.

Dá Para Ganhar Dinheiro Na Internet Hoje Em Dia?


Vou te mostrar agora algumas dicas para você começar hoje mesmo o seu primeiro negócio digital, tome nota:

1 - Blog Profissional

Criar um blog ainda é uma das melhores maneiras de começar um negócio sólido na internet, pois o blog é um ativo nosso e ninguém pode nos tirar.

As redes sociais não são nossas, a qualquer momento nossas contas podem ser encerradas, já o blog nos dá uma segurança a mais.

Você pode ganhar dinheiro com blog de diversas maneiras, mas eu prefiro trabalhar com a venda de produtos digitais, onde não precisamos criar produtos e nem sequer ter estoques.

Boa parte da minha renda na internet vem de blogs, por isso, eu sempre recomendo para quem quer começar um negócio digital.


https://preview.redd.it/ajjkge2ry2s21.png?width=705&format=png&auto=webp&s=983d2b6950dc3dbcc982c129807e5d3e0f85fdfc

2 - Canal No YouTube

O YouTube também pode ser uma excelente fonte de renda para quem quer começar a empreender online, ainda mais agora com a avanço da internet banda larga no Brasil.

No YouTube é possível lucrar através de visualizações e cliques em anúncios, nesse caso você vai receber do Google Adsense.

Mas também é possível lucrar vendendo produtos digitais como afiliado, ou seja, você ganhar dinheiro vendendo produtos de outras pessoas.

Eu sempre digo que quem sabe vender não passa forma, e se tem uma habilidade que você precisa aprender é essa.

Bom, essas são as duas principais formas de se ganhar dinheiro online que eu uso hoje em dia, mas existem muitas outras. em breve vou postar por aqui

Siga-nos para aprender mais.

Um grande abraço.
submitted by EzequielBlog to u/EzequielBlog [link] [comments]


2019.01.09 21:25 libertbutts CARTA PARA A NOVA NAMORADA DO MEU EX-MARIDO.

Eu estava esperando que eu nunca tivesse que ver seu rosto.Eu tentei acreditar que eu nunca teria que aprender o seu nome, mas as redes sociais e seus jogos passivamente cruéis tinham outro plano. Eu não reconheci seu rosto ou seu nome, mas nós tivemos alguns amigos em comum, e eu definitivamente reconheci o homem ao seu lado em sua foto de perfil. E meu mundo parou de girar. Eu sei o que você está pensando agora - a ex-mulher louca está assistindo seu perfil porque você está fazendo sexo com seu ex-marido e ela está furiosa. E ela está com ciúmes. E é triste. Eu não estou te culpando, mas você está realmente errado. Meu mundo parou de girar porque eu estava com medo por você. Você parece tão inocente.
Seu sorriso parece real, querida. Você parece feliz. Eu reconheci o seu sorriso e esta foto porque ela era minha há alguns anos atrás, eu estava de pé ao lado do homem que você agora representa e talvez os mesmos pensamentos felizes passem pela sua mente. E eu não posso descrever como sinto muito, e eu quero pedir desculpas a você por isso. Você vê que meu ex-marido não é aquele que está tentando criar esse momento. Ele não é a pessoa encantadora, feliz, amorosa e gentil que você acha que encontrou.
Tenho certeza que ele disse que ele era divorciado (e algumas coisas não tão boas sobre mim) e talvez um pouco da história de sua família e algumas de suas habilidades sobre as pequenas coisas na vida que ele passou - o suficiente para levá-lo a você se sente simpático a ele, para se orgulhar dele pelo que ele se tornou hoje. E mesmo se você tiver sorte, você está com alguém que passou por tantas coisas. Ele é um pássaro machucado que você instintivamente quer salvar, mas, querida garota, você simplesmente não pode. Eventualmente ele vai parar de sorrir. Ele vai parar e amar você. De repente, ele passará da calma perfeita para um furacão irracional completo em poucos segundos, e isso será totalmente sua culpa.
Ele dirá que está prestes a terminar com você mais de mil vezes, embora não pense nesses momentos, mas para seu próprio bem, espero que você pense. Ele lhe dirá que é por causa do alcoolismo ou por causa de seu pai ou das coisas pelas quais ele viveu. Ele fará uma lista de desculpas. Ele dirá que isso nunca mais acontecerá, mas será mentira. E então, esses ataques verbais e emocionais se transformarão em algo um pouco pior. E isso custará a você toda a sua existência como ser humano como você é agora. Você vai mudar, não intencionalmente e não conscientemente, mas é isso que as pessoas que são abusivas podem fazer com você.
Eles vão fazer você mudar, para se tornar a pessoa que eles querem, mesmo sem perceber. E você, minha querida, você não é apenas um profissional, mas um mestre. Antes de entender, você vai parar de falar tantas vezes com sua família como antes. Seus amigos se tornarão uma memória distante. Sua vida só vai girar em torno disso. Tenho certeza de que sua família ama e apóia você, e você quer que ele se torne parte dele porque você o ama e uma pequena parte de você espera que sua família possa lhe dar algo que ele nunca teve. Deixe-me esclarecer: ele tem. Ele tinha (e tem) uma família maravilhosa que Sam escolheu criar.
Ele tinha todo o amor e apoio do sol e dos arco-íris, borboletas e cachorrinhos que todos sonhavam, mas isso não era suficiente. Sinto muito, mas você e sua família nunca serão bons o suficiente. Não para este homem. Meu ainda está se recuperando dele. A verdade sobre esse homem é simples: ele não sabe amar. Ele acredita no amor e em uma vida que não é real, pela qual ele nunca será feliz. E quando ele não está feliz, coisas ruins acontecem. Eu posso listar todas as coisas terríveis que aconteceram durante nosso relacionamento e casamento, mas não tenho certeza se você vai querer ouvi-las, e francamente, estou fazendo um grande esforço para parar de pensar nelas e experimentá-las de novo e de novo.
Esta é uma luta diária para mim. Minhas feridas no corpo estão curadas, mas as cicatrizes são mais profundas. Então desculpe. Me desculpe, eu deixei ele pensar que o que está me causando está certo por tanto tempo, porque agora ele pode causar isso a você. Desculpe que suas mentiras e jogos eram tão convincentes que ele me fez acreditar sinceramente porque agora ele acha que eles são blindados. Me desculpe, eu não lutei mais para fazer alguma coisa, e achei a força para apenas sair, eu queria ter feito as duas coisas. Me desculpe, eu deixei esse cara te encontrar. Talvez você ainda ache que é apenas um movimento vingativo contra ele e isso é bom. Eu também não queria ouvir isso quando estava no seu lugar.
Mas você tem que saber que não tenho nada a ganhar com isso. Minha vida é incrível, pacífica e gratificante. Minha família é para mim, eu tenho um link que me mostrou o verdadeiro amor e até mesmo comprou um carro novo (o que me disse que eles nunca serão capazes de pagar). Não há nada que eu possa fazer se você deixar meu ex-marido. Mas você tem isso. Você pode manter o lindo sorriso em seu rosto. Você pode ter um futuro que não inclua preocupações sobre se ele realmente está onde ele disse que estava indo. Ou ele está com o que ele disse que será. Ou se você é bom o suficiente. Ou ele realmente pensava nas coisas que ele dizia? Ou, acima de tudo, Você pode ser feliz e calmo, não tenha medo.
Eu trabalhei incansavelmente para me voltar para a pessoa que eu era antes, e enquanto eu pensava que essa mudança duraria para sempre quando eu era a mesma pessoa novamente, foi a melhor sensação que eu já senti - é por isso que eu não Eu quero que você se perca. Você merece isso. Eu nunca quis saber qual era a próxima vítima dele. Eu nunca quis saber com quem a próxima mulher passaria apenas parte do que eu passei. Eu nunca quis me preocupar ou me preocupar com o próximo, pois ainda vou me recuperar dele, ainda e sempre. É por isso que eu nunca quis ver seu rosto.

submitted by libertbutts to u/libertbutts [link] [comments]


2018.12.14 16:10 MarshKun Pai Trans #1 - Roupas

Oi gente.
Vocês devem estar se perguntando o que diabos é isso de pai trans. Bom, esse é um projeto que eu estou trazendo para vocês.
Eu percebi que tem algumas coisas que eu nunca aprendi com meu pai, como por exemplo como me barbear, me vestir, como me portar e alguns conselhos sobre a vida, e etc que eu sempre quis aprender com ele, mas nunca tive a oportunidade.
Então eu pensei: Eu posso ser o pai trans de alguém. Ensinar todas essas dicas, essas coisas que eu tive que aprender com os anos sobre como me portar, como me vestir e como fazer algumas coisas que eu nunca tinha feito antes, para vocês. Eu espero que vocês gostem dessa série que vai ser provavelmente quinzenal ou semanal, dependendo do tamanho dos posts.
Atenção: Para quem é mulher trans, fique tranquila! Eu estou olhando com as maravilhosas mulheres trans do transbr para a gente conseguir fazer o Mãe Trans, então fiquem ligadas que logo logo a gente lança uma edição para vocês.
Mas enfim, hoje eu quero tentar ajudar vocês que são homens trans a se vestir melhor com algumas dicas que eu aprendi durante o caminho da minha transição. Tenham em mente que em relação a roupas eu sou um cara bem… Careta, digamos assim. Eu uso normalmente muita roupa social, então o meu estilo pode não ser o mesmo que o seu, e por isso, qualquer outra dica deixada nos comentários vai ser massa para que a gente possa atingir a maior quantidade de estilos e dicas possíveis.
Além disso eu vou em cada post alguns links úteis para que vocês possam fazer a pesquisa por si próprios e achar o estilo que mais se alinha com você. Então vamos lá!

Calças:

Caso você ainda não tenha começado o tratamento com a testosterona, prefira pegar calça de irmão, de pai, de amigo, etc, por que a sua gordura corporal (que eu vou chamar de GC por que eu vou falar muito esse termo aqui) vai mudar com o uso da testosterona, e pode ser que as calças não caibam mais em você ou simplesmente não tenham um caimento tão legal assim depois que você já estiver mudado.
Caso você não possa pegar as calças de outras pessoas, ou simplesmente não quer passar pelo tratamento hormonal, compre uma calça mais quadrada, por que elas deixam as suas pernas mais longas e disfarçam as curvas do corpo. Calças retas também são uma boa pedida, por que elas dão a impressão de emagrecer a pessoa, ou seja, elas retiram muito algumas curvas que você possa ter. Existem vários outros tipos de calças, e vale a pena olhar qual fica melhor com você.
Depois da mudança na GC os mesmos conselhos se aplicam, mas agora você pode ousar um pouco mais usando uma calça menos quadrada, se se sentir confortável.
Independente do seu estágio de transição ou não, prefira cores mais escuras, sóbrias. Azul marinho, bonina, verde escuro, etc. Cores muito chamativas e claras normalmente não são muito usadas, e quando são, são usadas com extrema moderação, normalmente num par com camisas escuras e pouco chamativas. A calça não tem que combinar com a camisa, tem que complementar ela, tenha isso em mente.

Camisas:

Independente se você tiver feito a mastectomia ou não, você vai ter um pouco de peito(ral), a questão aqui é como trabalhar com isso para obter um look mais reto e condizente com o resto do seu corpo, sem falar que você tem que ficar bonito, né?
Primeiramente quero falar com você sobre a maravilha da humanidade chamada brechó. Lá você encontra camisas sociais, blusas e muito mais em média por dez e vinte reais, e depois é só ir na costureira (ou entregar pra sua avô caso ela seja legal e saiba costurar) e pedir para ela costurar para o seu tamanho, o que em média fica de 20 a 40 reais. É muito mais barato que sair por aí comprando camisa de 110 reais, e vai ficar muito melhor por que vai ser feito pra você.
Só se atente a uma dica crucial: Você pode levar na costureira roupas alguns números maiores que os seus (ou fazer como eu e roubar as camisas sociais que meu pai não usa mais), e iguais ao seu número, mas nunca menores que o seu número por que a costureira não vai conseguir tirar tecido do nada para aumentar a roupa para você, ok?
Bom, para quem não está usando binder ainda, uma dica é fazer sobreposições. Colocar uma roupa por cima da outra, como por exemplo, uma blusa mais larga (mas não larga demais para não dar a impressão de desleixado) com uma camisa xadrez por cima.
Usar cores mais sóbrias também sempre é uma boa. Evite camisas apertadas e tente melhorar a postura. A gente acha que ficando mais corcunda vai ajudar a esconder os peitos, mas na real, isso só prejudica a sua saúde a longo prazo.
Mas e se você já usa binder? Eu usava o da Underworks e ele é extremamente confortável, posso indicar sem medo pra vocês. Mas se o dólar estiver caro demais e você for comprar um binder nacional ou vá você mesmo fazer um, tenha em mente algumas coisas:
ᴾˢˢᵗ: ᴺᵃ ʷᶦᵏᶦ ᵈᵒ ˢᵘᵇ ᵗᵉᵐ ᵐᵃᶦˢ ᵃˡᵍᵘⁿˢ ˡᶦⁿᵏˢ ᵈᵉ ᵇᶦⁿᵈᵉʳˢ ᵉ ᵐᵘᶦᵗᵒ ᵐᵃᶦˢ ᶜᵒᶦˢᵃ
Já que tiramos essas coisas do caminho, posso voltar a falar das camisas. Bom, supondo que você ja esteja usando T e a sua GC já tenha se realocado, você pode usar algo um pouco mais grudado. Supondo que a sua postura esteja melhor, camisas slim ficam sensacionais nesse estágio, por que elas ajudam a esculpir o seu corpo de uma maneira mais quadrada e você parece mais forte e imponente.
Evite usar estampas demais, elas dão uma impressão meio adolescente (a não ser que você seja um adolescente), prefira camisas sem estampas e com cores solidas, por que elas são super versáteis e podem ser usadas com praticamente tudo.

Sapatos e meias:

Em relação a sapatos as dicas continuam as mesmas de todo o resto. Evite cores vibrantes, e se for usar, use com moderação, e balanceando com as cores do resto do seu look. Tem um artigo sobre os tipos diferentes de sapato aqui.
Sobre meias, tem um ótimo artigo falando como usar elas aqui. Mas em suma eu diria para evitar usar meias brancas, com exceção de quando for fazer algum exercício, por que elas servem para isso, e para nada mais. Se eu ver algum homem trans usando bermuda com sapatênis e meia branca aparecendo eu vou ter um treco aqui, hein!
Pra finalizar as coias, quero te dar uma dica simples. Não tenha medo de inovar, de procurar estilos novos que possam ficar bons em você, ou que nem fiquem tão bons assim. Procure provar tudo que você puder, por que geralmente a gente tem que refazer nosso armário todo, então é sensacional poder criar algo do zero, algo que fique bom em você e reflita quem você é.
____________________________________________________________________________
Eu vou falar mais sobre roupas e vou dar algumas dicas mais específicas sobre se vestir (como fazer um nó de gravata, dicas sobre dobrar as mangas da camisa, como usar um terno, estilos diferentes e mais específicos, tipos de colarinho, acessórios, chapéus e etc) num próximo post se vocês quiserem mais deles. Além de falar de muitas outras coisas mesmo. Se alguém tiver alguma dúvida, pergunte nos comentários que eu vou tentar responder com a melhor das minhas habilidades.
Enfim, valeu por ter lido até aqui, e se essa serie continuar, te vejo na próxima!
submitted by MarshKun to transbr [link] [comments]


2018.10.02 15:37 gatoetc Modernidade, Iluminismo e Revolução Industrial: (portfólio mod4, pt.1)

Modernidade, Iluminismo e Revolução Industrial:


Modernidade

Não se trata da Idade Moderna, mas do processo de desencantamento do mundo (laicização ou dessacralização), que conforma o período contemporâneo, a partir da crença no homem, na razão e no contínuo progresso científico;
O processo de construção dessa visão iniciou com o Renascimento, passando pela Revolução Científica do século XVII e pelo Iluminismo - as três etapas da ascensão da ciência enquanto parâmetro para a compreensão do mundo;

Conceito

Revolução industrial = Processo de transformações econômicas, sociais e culturais caracterizado pela aceleração dos processos produtivos e pela consolidação da produção capitalista (séculos XVIII e XIX). Foram grandes mudanças provocadas pela adoção do sistema industrial de produção (mecânico) em substituição ao manual (artesanato e manufaturas).

Etapas do desenvolvimento da produção:

  1. Artesanato – transformação manual da matéria-prima em produto na qual o artesão é dono dos instrumentos de trabalho conhece todo o processo produtivo e controla o uso do tempo. A produção era pequena e dependia da habilidade e velocidade do artesão. A oficina costumava ficar na casa do artesão. Ele e seus aprendizes participavam de uma corporação de ofício, guilda ou grêmio.
  2. Manufatura - oficinas com vários artesãos, com trabalho manual, mas pagos por um comerciante interessado em vender o produto. Inicia-se a divisão do trabalho na qual cada grupo desempenha uma tarefa e uma disciplina de trabalho estabelecida pelo proprietário que paga o salário e controla o tempo e o ritmo, aumentando a produção. Os instrumentos podiam ser do artesão.
  3. Maquinofatura - indústrias com máquinas capazes de substituir várias ferramentas, acelerar a produção e realizar o trabalho de diversos artesãos. O dono da indústria possui os instrumentos de produção enquanto o trabalhador vende sua força em troca do salário, seguindo o ritmo acelerado da máquina. Aumenta a divisão e especialização do trabalho, bem como a disciplina e o controle estabelecido pelo dono da fábrica.

1ª Revolução Industrial

Motivos:

Características:

Invenções principais:


Ocorreu à ascensão da burguesia como classe que, aos poucos, assume o poder econômico e político e se torna o padrão social a ser seguido. Simultaneamente, aparece uma nova oposição de classes entre a burguesia (dona dos meios de produção) e o proletariado (dono da força de trabalho) que se torna mais uma mercadoria disponível e explorada pelo empregador.
O relógio passa há controlar o tempo – a indústria e suas necessidades passam a controlar o operário. Impõe-se uma regularidade e uma rotina totalmente diferente dos ritmos pré-industriais de trabalho.

Exploração dos trabalhadores:


Reação dos trabalhadores:

submitted by gatoetc to fabricadenoobs [link] [comments]


2018.09.19 03:30 mayquel Filhos

Há uma tragédia silenciosa que está se desenvolvendo hoje em nossas casas e diz respeito às nossas joias mais preciosas: nossos filhos. Nossos filhos estão em um estado emocional devastador! Nos últimos 15 anos, os pesquisadores nos deram estatísticas cada vez mais alarmantes sobre um aumento agudo e constante da doença mental da infância que agora está atingindo proporções epidêmicas. As estatísticas: -1 em cada 5 crianças tem problemas de saúde mental; -um aumento de 43% no TDAH foi observado; -um aumento de 37% na depressão adolescente foi observado; -um aumento de 100% na taxa de suicídio foi observado em crianças de 10 a 14 anos. O que está acontecendo e o que estamos fazendo de errado? As crianças de hoje estão sendo estimuladas e superdimensionadas com objetos materiais, mas são privadas dos conceitos básicos de uma infância saudável, tais como: -pais emocionalmente disponíveis; -limites claramente definidos; -responsabilidades; -nutrição equilibrada e sono adequado; -movimento em geral, mas especialmente ao ar livre; -jogo criativo, interação social, oportunidades de jogo não estruturadas e espaços para o tédio. Em contraste, nos últimos anos as crianças foram preenchidas com: – pais digitalmente distraídos; – pais indulgentes e permissivos que deixam as crianças “governarem o mundo” e sem quem estabeleça as regras; – um sentido de direito, de obter tudo sem merecê-lo ou ser responsável por obtê-lo; – sono inadequado e nutrição desequilibrada; – um estilo de vida sedentário; – estimulação sem fim, armas tecnológicas, gratificação instantânea e ausência de momentos chatos.
O que fazer? Se queremos que nossos filhos sejam indivíduos felizes e saudáveis, temos que acordar e voltar ao básico. Ainda é possível! Muitas famílias veem melhorias imediatas após semanas de implementar as seguintes recomendações: – Defina limites e lembre-se de que você é o capitão do navio. Seus filhos se sentirão mais seguros sabendo que você está no controle do leme. – Oferecer às crianças um estilo de vida equilibrado, cheio do que elas PRECISAM, não apenas o que QUEREM. Não tenha medo de dizer “não” aos seus filhos se o que eles querem não é o que eles precisam. – Fornecer alimentos nutritivos e limitar a comida lixo. – Passe pelo menos uma hora por dia ao ar livre fazendo atividades como: ciclismo, caminhadas, pesca, observação de aves/insetos. – Desfrute de um jantar familiar diário sem smartphones ou tecnologia para distraí-lo. – Jogue jogos de tabuleiro como uma família ou, se as crianças são muito jovens para os jogos de tabuleiro, deixe-se guiar pelos seus interesses e permita que sejam eles que mandem no jogo. – Envolva seus filhos em trabalhos de casa ou tarefas de acordo com sua idade (dobrar a roupa, arrumar brinquedos, dependurar roupas, colocar a mesa, alimentação do cachorro etc.). – Implementar uma rotina de sono consistente para garantir que seu filho durma o suficiente. Os horários serão ainda mais importantes para crianças em idade escolar. – Ensinar responsabilidade e independência. Não os proteja excessivamente contra qualquer frustração ou erro. Errar os ajudará a desenvolver a resiliência e a aprender a superar os desafios da vida. – Não carregue a mochila dos seus filhos, não lhes leve a tarefa que esqueceram, não descasque as bananas ou descasque as laranjas se puderem fazê-lo por conta própria (4-5 anos). Em vez de dar-lhes o peixe, ensine-os a pescar. – Ensine-os a esperar e atrasar a gratificação. Fornecer oportunidades para o “tédio”, uma vez que o tédio é o momento em que a criatividade desperta. Não se sinta responsável por sempre manter as crianças entretidas. – Não use a tecnologia como uma cura para o tédio ou ofereça-a no primeiro segundo de inatividade. – Evite usar tecnologia durante as refeições, em carros, restaurantes, shopping centers. Use esses momentos como oportunidades para socializar e treinar cérebros para saber como funcionar quando no modo “tédio”. – Ajude-os a criar uma “garrafa de tédio” com ideias de atividade para quando estão entediadas. – Estar emocionalmente disponível para se conectar com crianças e ensinar-lhes autorregulação e habilidades sociais. – Desligue os telefones à noite quando as crianças têm que ir para a cama para evitar a distração digital. – Torne-se um regulador ou treinador emocional de seus filhos. Ensine-os a reconhecer e gerenciar suas próprias frustrações e raiva. – Ensine-os a dizer “olá”, a se revezar, a compartilhar sem se esgotar de nada, a agradecer e agradecer, reconhecer o erro e pedir desculpas (não forçar), ser um modelo de todos esses valores. – Conecte-se emocionalmente – sorria, abrace, beije, faça cócegas, leia, dance, pule, brinque ou rasteje com elas.
Extraído de um grupo do telegram
submitted by mayquel to brasil [link] [comments]


2018.06.25 13:44 DivinaNunato 8 carreiras "à prova do futuro", de acordo com o maior site de empregos do mundo

A automação de tarefas tem muitas vantagens, como aumento de produtividade. No entanto, a principal desvantagem é que as
pessoas estão preocupadas que suas carreiras podem se tornar obsoletas nas próximas décadas.
Um estudo recente mostrou que os millennials em geral escolhem profissões que são mais "à prova do futuro" e menos
propensas a serem tomadas por máquinas, mas isso ainda deixa muitos inseguros se um robô roubará seu trabalho ou não.
O local de trabalho número um do mundo, Realmente, tem mais de 200 milhões de visitantes únicos por mês, o que lhes dá
uma visão sobre quais tipos de empregos estão disponíveis e quais habilidades estão em demanda.
Com base nesses dados, o economista da EMEA da Indeed, Mariano Mamertino, elaborou uma lista de nove planos de carreira -
exclusivos da Business Insider - que são os menos propensos a serem assumidos por máquinas, ou complementarão seu trabalho.
Mamertino disse que as ocupações que serão mais difíceis de automatizar "geralmente envolvem gerenciar e desenvolver
pessoas" e "planejamento estratégico e de tomada de decisões, ou trabalho criativo".
"As máquinas têm o potencial de tornar o local de trabalho mais eficiente, automatizando processos mecânicos e
rotineiros, mas os seres humanos sempre terão um papel-chave no centro", disse ele.
Role para baixo para ver se a sua carreira faz a lista, que é classificada em ordem crescente por salário médio, de
acordo com dados do site de pesquisa de fato e de trabalho Glassdoor.
Chef - £ 18.730 por ano.
As pessoas sempre desfrutarão da experiência de sair para jantar e experimentar novos sabores. Sem um chef que é capaz de
provar, menus novos e inovadores não estariam tão prontamente disponíveis.
Um robô não seria capaz de combinar habilidades manuais com criatividade como um cozinheiro, não importa o quanto tentem.
No Reino Unido, os chefs são procurados, com 22,4% de Chefes de Cozinha, 22% de Sous Chef e 21,3% dos trabalhos de Chef
Executivo permanecendo no site da Indeed por mais de 60 dias.
Marketing, comunicações e design - Cerca de £ 25.000 por ano.
As máquinas não são ótimas no pensamento crítico, ou criam idéias novas e excitantes, então sua criatividade pode ser à
prova do futuro.
As pessoas que planejam a vida ou que trabalham com ideias, palavras e imagens provavelmente sobreviverão ao aumento da
automação, porque as máquinas não funcionam como seres humanos. Ainda não, pelo menos.
Profissionais de saúde - £ 26.380 por ano.
Alguns papéis não serão assumidos pelas máquinas por um longo tempo - se forem - porque requerem interação humana. Os
profissionais de saúde estão muito nessa categoria. Enfermagem requer fortes habilidades interpessoais e de comunicação, que
são coisas que você provavelmente não terá de qualquer máquina que existe agora.
No momento, no Reino Unido, os trabalhos de enfermagem em domicílio são os mais difíceis de preencher no setor, portanto,
se você tiver esse emprego, ainda é raro e com demanda.
Educação e treinamento - £ 28,664 por ano.
Os professores estão sempre em alta demanda, de acordo com o Indeed. Há algo em aprender coisas novas de uma pessoa que
torna a informação melhor do que se você estivesse aprendendo tudo remotamente. Os professores são especialmente importantes
quando têm idiomas, porque muitas vezes há crianças em turmas que migraram de outros países.
As vagas de ensino no Reino Unido aumentaram 5% nos últimos dois anos, de acordo com a Indeed.
Especialista em segurança cibernética - cerca de £ 30.000 por ano.
Um estudo recente da Indeed mostra que o Reino Unido tinha o terceiro maior número de anúncios de papéis de segurança
cibernética no mundo. Somente Londres é um dos maiores centros de empresas de segurança cibernética.
No entanto, a demanda do empregador para esses empregos é três vezes maior do que o interesse do candidato. Nos últimos
18 meses, houve um aumento de 18% nas postagens de segurança cibernética no site Indeed, portanto, é improvável que os robôs
retirem esses trabalhos em breve.
Recursos humanos - cerca de £ 36.000 por ano.
A pista está no nome. Enquanto encontrar o candidato certo está se tornando cada vez mais dependente de dados e triagem
automatizada em algumas profissões, as habilidades sociais que as pessoas trazem para a mesa ainda são valiosas.
A inteligência emocional e a capacidade de ler as pessoas sempre serão importantes nesse setor, que os robôs
provavelmente não conseguirão fazer tão cedo.
Entrega ou gestão de logística - £ 43.435 por ano.
Tem havido muita conversa no ano passado sobre drones de entrega, e como eles vão assumir como um método de receber seu
post. No entanto, o setor de logística ainda exige que os seres humanos se envolvam na supervisão e gestão.
De acordo com a verdade, postagens de emprego de motorista de entrega são algumas das funções mais difíceis de preencher,
muitas vezes no site por 60 dias ou mais.
Cientista de dados - £ 55.765 por ano.
De acordo com a verdade, houve um aumento de 54% em pessoas procurando por empregos de ciência de dados no Reino Unido nos
últimos 12 meses. Não apenas há muito interesse, mas a demanda está acompanhando isso.
submitted by DivinaNunato to brasil [link] [comments]


2018.06.11 03:30 glauberston Você quer ser feliz ou ter razão?

A primeira vez que eu ouvi essa frase, nem dei bola, afinal na minha cabeça eu pensava “quem não quer ter razão? ”.
Olhando agora, o que mais me surpreendeu nesta frase foi que ela me foi dita por um colega de trabalho, e só reparei nisso quando uma segunda colega de trabalho me perguntou a mesma coisa.
Bom, decidir ter razão não parecia ter dado muito certo, então tentei ser feliz, mas “ser feliz” não me deixava feliz, muito pelo contrário. Mas como assim?
Eu explico, a questão “ter razão ou ser feliz” no ambiente de trabalho significa argumentar com as pessoas e expor o seu ponto de vista, visando o que é o melhor para a empresa, ou então acatar todas as ordens de seus superiores, abaixar a cabeça e seguir em frente, no melhor estilo “manda quem pode, obedece quem tem juízo”.
O problema é, cada vez mais vamos procurar um emprego e nos requisitos nos pedem: conhecimento no pacote office, inglês, espanhol e aramaico fluentes, engenharia espacial, habilidades de enviar um foguete, tripulado, para Saturno, conhecimento em Photoshop e Illustrator, conhecimentos de SEO e espírito de dono, tudo isso para uma vaga de assistente de qualquer coisa e ganhar por volta dos R$ 2.000,00.
Exageros à parte, eu gostaria muito de entender o que é o tal espírito de dono que muitas empresas falam. Meu pai é dono de uma empresa, não é nenhuma empresa gigante que nos permite viajar todo ano para o exterior como alguns conhecidos meus fazem, mas é o suficiente para que tenhamos uma boa vida, acima da média do brasileiro. Ou seja, acredito que eu entendo, mais do que grande parte das pessoas, o que é o tal espírito de dono.
Na empresa do meu pai, o horário de trabalho é das 08h às 18h, sem essa de trabalhar até às 21h direto como vejo acontecer em muitas empresas, sem pagamento de horas extras, claro. Em comparação às vagas que eu vejo no mercado, em relação à salário x requisitos, os pagamentos são acima da média. Muitas vezes, para o bem da empresa, meu pai faz sacrifícios, e já aconteceu, mais de uma vez, de passarmos apertos em casa por conta disso.
Como dono, ele sempre busca ouvir diversas opiniões, dentro da empresa, da família, de especialistas, amigos e quando está errado, volta atrás na decisão.
Toda esta história sobre o meu pai foi para mostrar um ponto, o tal espírito de dono de um dono é totalmente diferente do espírito de dono de gerentes, diretores e presidentes de multinacionais. Em multinacionais o tal espírito de dono é a cegueira, em que o ideal é trabalhar, no mínimo, 12 horas por dia, afinal, o importante é a quantidade que se trabalha e não a qualidade do trabalho, é saber mais do que os outros, afinal, o seu cargo é alto e em uma multinacional que muitos sonham trabalhar.
Durante o tempo em que trabalhei em uma multinacional, ouvi absurdos, como um presidente dizendo que se uma palavra for comprada nas buscas do Google durante uma semana, ela ficará em primeiro lugar nos resultados, mesmo na semana seguinte, na qual não há investimento. Vi gerentes de marketing dizerem que, aquelas letrinhas minúsculas que aparecem nos comerciais da TV, que blindam uma empresa legalmente explicando como funciona uma promoção, não eram necessárias, pois o comercial tem apenas 30 segundos e não dá tempo de ler tudo. Ouvi também, da mesma pessoa das letras no comercial de TV, após um famoso comentar “DM” nas redes sociais da empresa, dizer que DM significa demais e não direct message (mensagem direta, ou o famoso inbox). E ai de mim, se em algum destes casos eu ousasse expor meu ponto de vista.
Fui taxado de insubordinado, simplesmente por questionar algumas tomadas de decisão, e foi então que ouvi “quem sabe o que é melhor para empresa sou e o presidente, e não você”.
Não duvido que estas pessoas tenham mais experiência que eu, com certeza elas têm, mas isso não as impede de errar e de aprender com outras pessoas, que podem sim ter um cargo inferior ao delas.
Foi então que eu ouvi pela segunda vez “você quer ter razão ou ser feliz? ”. Fui obrigado a olhar para trás e analisar tudo que foi descrito neste texto, afinal, o que vale mais a pena, argumentar, expor meu ponto de vista, tentar buscar o que é o melhor para a empresa ou aceitar que eu não sei o que é melhor para a empresa, pois ocupo um cargo baixo e aceito que quem sabe o que é melhor mesmo são aquelas pessoas que disseram aqueles absurdos e que não quiseram me ouvir quando tentei alertá-los?
Bom, eu decidi que quero ser feliz e também quero ter razão, mas quando eu tiver razão realmente e não quando eu quiser simplesmente. E você?
submitted by glauberston to brasil [link] [comments]


2018.03.29 02:56 viniciusbmello [Campanha][Roll20][DnD5e][Segunda-Feira] Problemas no Mar das Estrelas Cadentes [5 Vagas - 8PM - Forgotten Realms]

Problemas no Mar das Estrelas Cadentes

Dia: Todas as Segundas-feiras, às 20 horas (Caso reunamos os 5 jogadores a tempo, pretendo iniciar a campanha no dia 09 de Abril); Sistema: D&D 5th Edition; Cenário: Forgotten Realms; Progressão: Milestone. Progressão de níveis baseada na história (Os personagens ganharão níveis conforme completam feitos heroicos e progridem na história);
Cidade Inicial: Portão Ocidental (Westgate); Nível Inicial: Os aventureiros iniciarão no nível 1; Ano: Ano da Chopeira (1370 DR);
Nível mínimo recomendado de conhecimento do Sistema: Avançado (Tanto os combates, quanto os embates sociais serão de dificuldade elevada); Nível mínimo recomendado de conhecimento do Cenário: Iniciante (Não vou cobrar conhecimento de cenário, irei narrar tudo como se fosse a primeira vez de todos na região);
Ferramentas: • DiscordApp (Para comunicação - Áudio);
Não é necessário ter experiência com a ferramenta, utilizaremos ela apenas para comunicação, posso explicar como se conectar durante a primeira sessão.
• Roll20 (Para Fichas de Personagem e GRID de combate - Usaremos Dynamic Lights);
Irei cobrar de todos os jogadores (Mesmo os que já tenham experiência com a ferramenta) que completem o Tutorial básico da ferramenta ou tenham a conquista de ter completado-o. Estarei cobrando isso pois ao longo das sessões será necessário que o jogador saiba operar a ferramenta para evitarmos atrasos ou interrupções da narrativa para explicar funcionalidades básicas.
Conteúdo permitido para Criação de PJs:
• Livro do Jogador (Player’s Handbook); • Manual dos Monstros (Monster Manual); • Guia do Mestre (Dungeon Master’s Guide); • Guia do Aventureiro da Costa da Espada (Sword Coast Adventurer’s Guide); • Um Grung Acima (One Grung Above); • Guia do Volo para Monstros (Volo’s Guide to Monsters); • Guia do Xanathar para Todas as Coisas (Xanathar’s Guide to Everything); • O Pacote Tortoruga (The Tortle Package); • Livro do Jogador do Mal Elemental (Elemental Evil Players Companion);
Alinhamento da Campanha: Heroico. Bom (Good); Temática: Pirataria; Exploração;
Exemplos de Gancho: (Hook)
• Você foi acusado de crimes os quais não cometeu e está foragido tentando provar sua inocência, sua melhor opção foi fugir da cidade entrando em uma tripulação pirata. • Você era um legítimo marinheiro até pouco tempo atrás, mas seus maus hábitos lhe afastaram de seus ofícios (Problemas com bebidas, apostas, mulheres, etc). Durante sua vida como marinheiro você fez algumas alianças com piratas para evitar combates e desperdiçar vidas, agora que você perdeu seu posto na marinha está se oferecendo para trabalhar para estes mesmos piratas. • Você é caçado por um grande poder maligno com o qual ainda não consegue lidar. Você viaja de cidade em cidade servindo como pirata para não ser encontrado por tal poder. • Você é um nobre e grande amigo de um governante que acaba de morrer, o sucessor é um novo governante opressivo e que lhe revogou o status de nobre. Você jurou vingança e se declarou inimigo da coroa e busca remover o novo governante do poder. • Você é um órfão que foi salvo e criado por um velho pirata que já não veleja mais, você cresceu ouvindo histórias dele sobre coragem e combates em alto-mar, sobre apostas e amizades que ele fez e é um grande apaixonado pela vida de pirata. Infelizmente a idade o castigou muito e ele teve uma morte tranquila em seu leito, agora que você está só, busca se juntar a uma tripulação e reviver as aventuras que ele te contava quando criança.
Prólogo:
• As ondas colidem contra a embarcação, você caminha até os aposentos do capitão para lhe relatar sobre a situação da tempestade quando encontra seus aposentos vazio. Você chama por ele, mas sem resposta decide entrar para averiguar se ele está bem. • O cômodo realmente está vazio. A embarcação balança muito e dificulta seu equilíbrio. Você se assenta na velha cadeira de descanso do capitão, olha em cima da escrivaninha a sua frente e vê uma carta aberta com o selo de Essembra, se aproxima dela e tomado por curiosidade decide lê-la.
Carta:
... Ao meu estimado Bastão-Negro, Khelben Arunsun de Águas Profundas, minhas saudações neste vigésimo sétimo dia de Eleadias do Ano da Chopeira. Apesar das recentes turbulências com os Harpistas em Berdusk e em outros lugares, além das suas respostas às objeções e perguntas deles, eu lhe envio este relatório com palavras de apoio. Meu pai, Telar de Trincheiras, me inseriu aos Harpistas treze anos atrás e suas palavras permanecem comigo hoje: “Há poucas coisas em que você pode confiar neste mundo. Você pode confiar que cada amanhecer traz um novo dia. Confie em Bastão-Negro igualmente. Não importa no que os outros acreditem. Aqueles que veem malícia nele tão míopes e ignorantes. Ele atravessou o Abismo e as horrorosidades por Toril, e nós lhe devemos nossa confiança.” Muitas Vezes você castigou-o por superestimar sua própria voz, mas suas palavras permanecem, assim como minha lealdade para com você. ... Há três anos, você me pediu para viajar pelo Mar Interior e relatar qualquer notícia de acontecimentos estranhos. Naquela época, fiquei de olho nos oficiais, nos piratas e nos perigos em torno de suas águas. Eu enviei relatos de acontecimentos entre os Impérios Antigos e o que eu pude recolher dos Zulkirs em Thay. Eu até me infiltrei nas tripulações piratas e na guilda de comércio dos Corvos Escarpados, ambos provaram ser igualmente astuciosos e paranoicos. Assim, enquanto eu tenho muitos contos para contar sobre tais eventos, eu também posso atualizá-lo sobre o estado atual da Ilha do Pirata, que infelizmente os Harpistas negligenciaram desde o Tempo das Perturbações. ... Antes de minha saída de Águas Profundas no Ano do Escudo, a notícia de ataques submarinos aos elfos do mar e seus semelhantes se espalhavam pelas tavernas. Logo depois eu recebi minhas ordens que agora cumpro através deste relatório. Meu relato completo em anexo fornece notas breves das atividades de longo prazo e seus desenvolvimentos entre todos os poderes que habitam abaixo do Mar Interior. Eu acredito que estes ataques podem estar ligados aos sofridos em Águas Profundas e Portal de Baldur no Ano da Manopla. Criaturas marinhas que normalmente caçam umas as outras estavam trabalhando em conjunto entre si. ... O Mar Interior está cada vez mais longe de ser seguro e tranquilo, alianças submarinas estão se formando e os tolos continuam a içar suas velas e velejar sobre estas águas que se tornam mais perigosas a cada dia. Serôs continua alheia e tranquila a todo este caos e permanece com seus segredos escondidos. Eu permaneço aqui para observar, aprender e fornecer suporte quando necessário. O mar tem seus mistérios, mas até isto pode terminar mais cedo ou mais tarde quando Serôs se abrir para aqueles corajosos o suficiente para alcançá-la.
Assinatura:
Que as Estrelas do Luar te guardem bem, Alyn Telar-Filho de Essembra
Gancho coletivo: (Isto vale para todos os personagens dos Jogadores)
• Os aventureiros encontram-se na cidade de Portão Ocidental e estão na recém inaugurada Taverna Raiz Podre. • Os aventureiros são ou pretendem ser piratas e atualmente encontram-se sem tripulação. • A Taverna Raiz Podre é famosa por ser frequentada por piratas e seus capitães, então é um ótimo lugar para ouvir algumas conversas e talvez encontrar uma tripulação. • Recrutamentos para tripulações acontecem em meio a bebedeira e gritarias. • Para os aventureiros é de fundamental importância que eles consigam encontrar uma tripulação e sair da cidade de Portão Ocidental o mais rápido possível. (O motivo para isto ser uma prioridade deve ser criado pelo próprio jogador)
Inscrições: Caso você tenha interesse em participar desta intensa narrativa colaborativa que tanto amamos, poste aqui nos comentários deste tópico suas experiências com RPG e com o cenário de Forgotten Realms. Escreva um pouquinho sobre você! Dúvidas? Me mande um PM ou comente aqui!
FAQ: 1 - Como se dará a distribuição de pontos de habilidade dos personagens (Rolando Dados, Standard ou Point-Buy)?
R: Usaremos Point-Buy. Por se tratar de uma mesa online com pessoas que ainda não se conhecem, quero evitar o máximo de frustrações por parte dos jogadores. o sistema de Point-Buy é o mais equilibrado.
2 - Os personagens terão de usar os Exemplos de Gancho (Hook) acima?
R: Não! São apenas exemplos para aguçar a imaginação e criatividade de vocês. Por se tratar de uma campanha com foco em pirataria, mas com alinhamento Heroico/Bom, eu achei que talvez fosse difícil para alguns jogadores pensarem em como criar piratas Heroicos e escrevi estes exemplo para auxilia-los.
3 - Todos os personagens usaram o Background Pirata (Sailor) do livro do Jogador?
R: Não necessariamente. Nos exemplos de Hook que eu escrevi acima temos exemplos de Background Nobre (Noble) e até mesmo Orfão (Urchin). Background é o que você era no passado, não necessariamente você era um pirata, mas certamente está se tornando um.
OBS: Estou encerrando o recrutamento para esta campanha. Todos os players que foram selecionados já foram avisados. Foi muito gratificante para mim receber todas estas respostas. Obrigado de coração pelo interesse. (31/03/018)
submitted by viniciusbmello to LFG_Brasil [link] [comments]


2018.03.08 22:20 Farthurr Como se dará o crescimento dos personagens em Worthy?

Este artigo explica uma mecânica também muito importante deste projeto: a evolução dos personagens. Alguma pessoas depois me disseram que havia semelhança com "Echo - Our Voice", mas agora já era! kkk
O link para o artigo estará logo abaixo, mas eu prezo mais a opinião sincera de vocês do que cliques em links, então vou deixar o artigo também aqui nesse post. Se possível, gostaria de um feedback de vocês. Obrigado a todos! https://farthurstudios.com/002-mecanicas-de-worthy-stories-parte-2/
Logo depois de eu ter pensado em como a fome impactaria no desempenho dos personagens dentro do jogo, a pergunta que me veio foi “Como os personagens vão evoluir?”.
Eu me fiz essa pergunta porque, apesar da excelente experiência que tive jogando jogos como Final Fantasy, Chrono Cross, Dragon Quest, entre outros RPGs por turnos, duas coisas sempre me incomodaram um pouco: geralmente o único critério para aprender uma nova habilidade é o level; e os atributos dos personagens não parecem crescer de maneira natural. Vamos exemplificar:
Um Final Fantasy que eu me lembro de ter gasto várias horas foi o FF-XII. Ele tinha um sistema onde eu liberava o uso de tipos diferentes de armas à medida que eu ia usando tais armas. O mesmo se dava com as Skills. Bem bacana, mas era bastante incômodo quando eu encontrava uma arma que eu não podia usar ainda.
Outro jogo que eu gastei muitas horas foi o Dragon Quest VIII. No caso dele, a forma como você acrescentava atributos aos personagens realmente me incomodava: a cada level que você passa, você ganha pontos para distribuir em seu personagem. Eu sei que muitos RPGs de grande sucesso usam este sistema, como a série Castlevania. Mas pense comigo: eu estou usando uma clava com o Yangus durante os primeiros níveis, mas quando eu passo de level eu decido acrescentar pontos na habilidade de Machado, sendo que eu NEM SE QUER TENHO UM PARA PRATICAR!!!
Não estou criticando tais jogos, obviamente: a forma como eles foram planejados dava à estes sistemas uma importante função. Mas, para o Worthy, eu não vejo o Baggart usando duas adagas e evoluindo sua habilidade com Espada por que ele sabe que vai encontrar uma MEGA ESPADA no fim do jogo (não estou dizendo que isto vai acontecer mesmo).
Para isso, eu pensei em outros dois jogos:
Inspiração 1 – Tibia O Tibia, certamente, é conhecido por qualquer um que esteja lendo este post. Fez parte da infância/adolescência de muitos, e talvez muitos ainda joguem até hoje. E, por isso, é bem fácil explicar como ele me inspirou. O principal charme do Tibia para mim (antes de inventarem o offline trainning) era o treino do personagem. O seu personagem crescia de maneira natural de acordo com o que você fazia em combate. Se você estivesse usando espada, sua habilidade com espada evoluía a cada golpe realizado. Se estivesse usando arco, sua mira crescia. Se usasse muitas Spells, o seu Magic Level crescia, etc. Era um sistema muito lógico e simples, com alta dificuldade mas também com alta recompensa. Esse é um aspecto muito importante que desejamos frisar em Worthy Stories: alto risco/dificuldade, alta recompensa.
Inspiração 2 – Disgaea Este jogo não é tão conhecido no Brasil, mas possui uma boa fanbase se você procurar bem. Inclusive, eu recomendo pra quem gosta de Anime,já que o enredo se assemelha muito à um. O ponto deste jogo que me chamou atenção foi um aspecto também bem simples e lógico: você pode aprender novas habilidades no decorrer do jogo, habilidades cada vez mais fortes. Mas a eficiência delas depende muito da sua prática. Ou seja, uma habilidade simples que você tem no início do jogo, mas que você já usou muitas vezes, pode ser mais poderosa do que uma grande habilidade que você acabou de aprender e não tem prática. Em linguagem de desenvolvedor, seria mais ou menos assim: quanto mais vezes você usar uma habilidade, maior vai ser a sua eficiência. Em Disgaea, as habilidades contam com níveis, assim como os personagens. Cada vez que você usa uma habilidade, acrescenta um ponto, semelhante à Exp. Quanto mais alto o nível, mais vezes é necessário usar a habilidade para evoluí-la. Isso se encaixa muito bem com a ideia de evolução dos atributos do personagem (Espada, Clava, etc.). Então, vamos um pouco além.
Inspiração 3 – Metal Gear Solid 3 Dessa vez eu fugi completamente do mundo dos RPGs, mas pelo menos mantive o padrão de enredo envolvente. O ponto do Metal Gear (em especial o 3) que eu usei, no entanto, não é uma mecânica muito perceptível. Se você já zerou o jogo pelo menos uma vez, você certamente notou que a sua barra de vida era bem maior do que a do começo do jogo. Mas pode não ter notado a forma como ela crescia. Metal Gear não possui nível nem exp, então como o MaxHP do personagem aumentou? É muito simples: Metal Gear tem um importante (e muito bacana) sistema de primeiros socorros. Sempre que você é ferido, você usa bandagens, antiscépticos, soro, faz pontos, etc. E, é claro, come. Dessa forma a sua vida vai regenerando aos poucos. Como é um jogo mais lento, onde a paciência é muito mais recompensadora do que boa mira, isso apenas valoriza a experiência. O que você talvez não tenha notado é que sempre que você realiza o ciclo SER FERIDO > APLICAR PRIMEIROS SOCORROS > REGENERAR O HP, a sua barra de vida cresce um pouco. Quanto mais vezes isso se repetir, maior será o seu MaxHP. “O que não me mata me deixa mais forte”, não é mesmo?
Aplicando essas ideias em Worthy Stories Pensando em manter um padrão de “Alto risco/dificuldade, alta recompensa”, é fácil entender que estes três sistemas se completam entre si. Agora, é só definir os valores para balancear o jogo.
Evolução de atributos: - A cada X golpes efetuados, é acescentado 1 ponto em Attack Power se causar dano físico, ou 1 ponto em Magic Power se causar dano mágico. O dano causado deve ser maior que 0. Originalmente, X era igual à 1, mas no teste aberto do primeiro Alpha vimos que isso era absolutamente quebrado. Além disso, cada personagem tem aptidões diferentes, então é normal que alguns evoluam Attack Power mais rápido do que Magic Power, e vice-versa. Por enquanto, X ainda é um valor indefinido. - Quando o personagem levar algum golpe que lhe cause dano maior que 0, há uma chance x de seu MaxHP aumentar em +y. Este valor pode ser diferente dependendo das aptidões do personagem ou dos ítens que ele estiver usando. A cada X habilidades usadas que custarem pelo menos 1 MP (Mana), a mana máxima do personagem (MaxMP) ira aumentar em +y. Este valor também mudará de acordo com as aptidões do personagem ou dos itens que ele estiver usando.
Evolução de Habilidades: - Sempre que uma habilidade for usada, será acrescentada um ponto de exp para ela. A habilidade terá níveis que serão alcançados de acordo com os pontos de exp adquiridos. Quanto maior o nível da habilidade, maior será a sua eficiência (dano, cura, buff ou debuff), e maior será o custo de exp para avançar para o próximo nível. Com exceção do nível, todos os outros valores são (geralmente) ocultos.
Perícia com armas: - A cada golpe bem sucedido com uma arma, aumenta um ponto de xp, o que fará com que eventualmente aumente o nível de perícia com aquele tipo de arma. Quanto maior o nível, maior o dano, a chance de acerto e a chance de crítico. Pois é, não tinha como ser muito diferente do Tibia mesmo…
Com estes sistemas, o jogo exige que o jogador tome boas decisões desde o início do jogo, e principalmente dentro de combate. Por exemplo, se ele quer que o Butamaster seja resistente para fazer uma boa linha de frente, é melhor que ele apanhe muito, pois assim o seu MaxHP crescerá mais rápido.
Outra ocasião onde o jogador terá de tomar boas decisões é na hora de escolher as habilidades dos personagens: você pode escolher aprender uma nova habilidade com dano alto, mas terá que gastar algum tempo para treiná-la, ou pode masterizar as primeiras habilidades do jogo, transformando-as em verdadeiras IKs.
A maioria destes valores não são certos pois o jogo está em fase de testes. Precisamos encontrar um equilíbrio para garantir que todas as possibilidades de jogo sejam recompensadores e, é claro, divertidas.
Há mais alguns sistemas interessantes que vamos explicar em breve. Mas apesar de estarmos explicando separadamente, todos fazem parte de um conjunto que só funcionam em seu máximo quando estão juntos. Estamos planejando o jogo para valorizar jogadores que pensam em boas estratégias para vencer, ao mesmo tempo que permita que os jogadores que gostam de acompanhar a história possam fazê-lo sem ficar “preso” em determinadas partes do jogo.
Se você gostou, ajude-nos por compartilhar este artigo e o site com seus amigos. Dê também a sua opinião sobre o projeto, se está gostando ou não (até por que nós estamos fazendo isso pra você). Fique ligado em nossas redes sociais, principalmente no nosso servidor do Discord para se manter atualizado!
submitted by Farthurr to gamesEcultura [link] [comments]


2017.11.30 12:39 Franciane32 Você deixa marcas por onde passa.

Você sabia que deixa marcas por onde passa?? Pois é... Você deixa marcas e essas marcas são pessoais. A marca nada mais é a imagem que você passa resultando em como as pessoas te enxergam, interferindo, assim, na sua vida pessoal e profissional.
Muitas pessoas não dão muita atenção ao jeito como se comportam, não prestam atenção no que falam, como falam e, muito menos, se esforçam para passar uma imagem positiva para serem, ao menos, lembradas por aquilo que fizeram ou disseram.
As marcas que você deixa vão desde cumprimentar ao ajudar o próximo, vão desde a aparência visual ao investimento em si mesmo (fazendo cursos, se qualificando, adquirindo novos conhecimentos, etc...). Você está sendo observado o tempo todo, por isso, cuide de si mesmo e das pessoas ao seu redor.
Por onde você passa???
Essa pergunta parece ser irrelevante, não é mesmo?! Mas não é não!! O lugar pelo qual você passa pode fazer toda a diferença, pois junta o seu jeito de ser e agir com o como você está sendo visto pelas pessoas ao redor. Então cada lugar requer um tipo de comportamento, um cuidado na escolha da roupa, um cuidado na aparência visual e um cuidado no vocabulário. Lembre-se que você está sendo observado o tempo todo.
Quais marcas você deixa por onde passa?
Essa pergunta é essencial e você deve se fazer sempre. Para saber a resposta preste atenção nas pessoas em relação a você, observando as ações delas e em como se comportam diante da sua presença.
Quais marcas você deve deixar...
§ Persuasão;
§ Proatividade;
§ Assertividade;
§ Bom humor;
§ Sensatez;
§ Boa comunicação escrita e oral;
§ Iniciativa;
§ Liderança;
§ Ajuda ao próximo;
§ Otimismo;
§ Autoconfiança;
§ Resiliência;
§ Positividade;
§ Ótimo relacionamento interpessoal;
§ Reconhecer o erro e aprender com ele;
§ Empatia:
§ Inteligência emocional;
§ Saber lidar com o fracasso.
Nas redes sociais, você prejudica sua imagem quando...
© Expõe demais sua vida pessoal e profissional;
© Fala mal de qualquer pessoa;
© Faz reclamações tanto em referência a vida pessoal quanto profissional;
© Posta comentários negativos ou muitas críticas negativas sobre qualquer assunto;
© Posta muitas frases filosóficas;
© Posta fotos intimas e/ou sensuais;
© Cria postagens com erros de português.
Nas redes sociais, você passa uma imagem positiva quando...
Posta fotos dos momentos de lazer e/ou fazendo seus hobbies;
Posta e/ou compartilha textos e artigos informativos seus ou de outras pessoas;
Cria um blog ou um canal no YouTube com conteúdos relevantes;
Cria uma FanPage, usa o LinkedIn, o beBee e o Reddit para mostrar suas habilidades e competências através de artigos e outros tipos de conteúdos.
As marcas que você deixa por onde passa influenciam em sua carreira, no emprego, no empreendimento, nas entrevistas de emprego e no ambiente de trabalho.
submitted by Franciane32 to brasil [link] [comments]